Loading...

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Resumo Roma Antiga


História – ROMA ANTIGA-


 

1 . Introdução

características geográficas → a Itália fica ao sul da Europa, numa península da parte central do mar Mediterrâneo / a península Itálica lembra o formato de uma bota / bom clima, planícies férteis, rios abundantes / atividades econômicas → inicialmente pastagens com muitos rebanhos e campos com muitas uvas /  economia agrária pastoril.

 

2 . Fundação

a . o mito → antiga lenda conta que Roma foi fundada pelos irmãos gêmeos Rômulo e Remo...

b . a realidade → as lendas geralmente contêm algo de verdade, os arqueólogos encontraram ruínas de uma aldeia que existiu no século VIII a.C., onde hoje está localizada a cidade de Roma /  dentre os povos antigos que povoaram essa região destacam-se: italiotas (latinos, volcos, úmbrios, sabinos, samnitas, équos), etruscos e gregos / os latinos e os sabinos se miscigenaram e foram os primeiros habitantes  de Roma

c . grupos sociais → a sociedade estava dividida entre:

- os patrícios (nobres ou aristocratas descendentes de famílias importantes) constituíram a classe dominante, como cidadãos desfrutavam direitos políticos e podiam desempenhar importantes funções públicas: no exército, na religião, na justiça, na administração etc / no plano econômico eram grandes proprietários de extensas terras, de rebanhos e de escravos

                - clientes eram homens livres que se associavam aos patrícios prestando-lhes diversos serviços pessoais em troca de auxílio econômico e proteção social, geralmente eram estrangeiros.

                - plebeus eram homens livres que se dedicavam ao comércio, ao artesanato e os trabalhos agrícolas / representavam a maioria da população romana / a princípio, os plebeus não tinham direitos de cidadão: não podiam exercer cargos públicos nem participar da política, não participavam do exército (o que era ruim, pois as armas eram controladas pelos patrícios / quando atacavam outras cidades para roubar suas riquezas, só os patrícios é que faturavam com a vitória)

                - os escravos eram sobretudo os prisioneiros de guerra / em alguns casos havia a escravidão por dívidas dos plebeus, o que foi abolido com as conquistas dos mesmos.

 

3 . A história de Roma e seu grandioso império é dividida em 3 grandes períodos:

- Monarquia (753-509 a.C.) → durante esse período, Roma foi uma pequena cidade que sofreu a dominação dos etruscos e influências de etruscos e gregos.

- República (509-31 a. C.) → período de quase 5 séculos, durante o qual Roma desenvolveu instituições sociais e econômicas e expandiu grandemente seu território.

- Império (27 a.C.- 476 d.C.) período de aproximadamente 5 séculos em que, depois de atingir sua fase de grande glória, Roma enfrentou inúmeros problemas internos e externos. A combinação desses problemas arrastou o império romano para a decadência.

 

4  . Monarquia /  domínio etrusco / embora existisse um rei uma  assembléia formada inicialmente apenas por patrícios era consultada para decisões importantes / existência de um senado vitalício  = patrícios.

5 . República

Com a instalação da república, os patrícios romanos montaram toda uma organização social e administrativa para exercer domínio sobre Roma e desfrutar os privilégios do poder / eram eles que controlavam a quase totalidade dos altos cargos da república.

                Os plebeus recusavam-se a servir no exército / fizeram diversas exigências aos patrícios/ conquistas plebéias: tribunos da plebe, Lei das Doze Tábuas (leis escritas válidas para plebeus e patrícios), Lei Canuléia (autorizava casamento entre patrícios e plebeus), proibição da escravização por dívidas e direito de eleger cônsules plebeus.

6 . A expansão territorial dos romanos

Os primeiros passos da expansão militar consistiram no domínio completo da península Itálica.  Mais tarde, tiveram início as guerras contra Cartago (Guerras Púnicas), que era uma importante cidade comercial. Arrasando Cartago, os romanos abriram caminho para dominar as regiões: do mar Mediterrâneo ocidental (península Ibérica, Gália); Mediterrâneo oriental(Macedônia, Grécia, Ásia Menor) e o norte da África (Egito)

conseqüências da expansão → as conquistas militares trouxeram a Roma a riqueza extraída dos povos dominados = o estilo de vida romano, antes simples e modesto, evoluiu em direção ao luxuoso, ao requintado e ao exótico

                Os nobres se apoderaram das terras dos pequenos proprietários plebeus (que estavam atuando nas guerras) / parcela considerável desses plebeus empobreceu e migrou para as cidades, engrossando a massa dos desocupados e famintos (eram substituídos por escravos)

                Diante da situação de tensão que existia na república romana, os irmãos Tibério e Caio Graco, que eram tribunos da plebe, tentaram promover uma reforma social que tinha como objetivo melhorar as condições de vida da massa plebéia. Entre outras coisas,a reforma dos Graco propunha uma distribuição de terras (reforma agrária) entre os camponeses plebeus, congelar o preço dos alimentos... em face de suas medidas, os irmãos Graco sofreram forte oposição do senado romano, sendo assassinados a mando dos nobres, apavorados com o apoio popular que eles receberam.

                Para os habitantes pobres de Roma, o governo distribuía pão de graça e promovia festas. A fórmula “pão e circo” significava que os pobres podiam ser dominados se fosse dado a eles um pouco de comida e de diversão.

 

7 . Crise da República Romana – As conquistas militares trouxeram novos confrontos pelo controle político de Roma / sem solução para a crise instalada, a república entrou num período de grande instabilidade = diversos chefes militares entraram sucessivamente em luta pelo poder político / numa situação de calamidade pública era possível eleger um ditador com plenos poderes para salvar a república, mas ele só exercia o cargo por 6 meses, depois tinha que sair.

                As guerras foram reforçando a importância do exército para Roma. O general Mário foi o primeiro que conseguiu ser eleito cônsul / ficava claro que para o indivíduo alcançar o poder ele precisava do apoio do exército e dos nobres / com o exército teria a força das armas, com os nobres teria a força da riqueza = vários generais se utilizaram desses meios para controlar Roma.

                *60 a.C.: Pompeu, Crasso e Júlio César formavam o primeiro triunvirato (governo formado por 3 pessoas) / Crasso foi assassinado pouco tempo depois de assumir o poder / Júlio César saiu vitorioso conta Pompeu e tornou-se ditador supremo de Roma / em 44 a.C. foi assassinado numa conspiração organizada por membros do senado, pois foi acusado acumular poderes e prejudicar a República...

                *43 a.C.: Marco Antônio, Otávio e Lépido formaram o segundo triunvirato / Lépido foi forçado a retirar-se da política / proclamando ao senado que Marco Antônio pretendia formar um império no Oriente / Otávio conseguiu apoio dos romanos para derrotar Marco Antonio, tornando-se e grande senhor de Roma, recebeu vários títulos, inclusive o de Augusto (escolhido dos deuses), até receber o título de imperador... fim da república!

 

8   . Império → Para manter as aparências, Otávio Augusto conservou o Senado e a Assembléia Popular, mas quem dava as ordens mesmo era ele / as instituições continuaram existindo, o problema que foi a grande diminuição da importância delas = o poder estava mesmo era com o imperador que comandava o exército e a marinha, ele é que governava, fazer leis e controlar os cidadãos / era também o chefe religioso / o imperador nomeava pessoas ricas e patrícias para os cargos de destaque, como o de prefeito de uma cidade ou governador de uma província.  Durante o longo governo de Otávio Augusto, foram promovidas várias reformas sociais e administrativas / Roma ganhou em prosperidade econômica / o exército foi profissionalizando ainda mais / o imenso império passou a desfrutar um período de paz e segurança, conhecido como Pax Romana.

                Após a morte de Otávio Augusto, em 14 d.C., uma longa lista de imperadores ocuparam o trono romano: a dinastias dos Júlio-claudianos (14-68), a dinastia dos Flavianos (69-96), a dinastia dos Antoninos (96-192) e a dos Severos (193-235).

               

9 . Desintegração do Império Romano: Com o fim conquistas territoriais o império romano foi sendo corroído por uma longa crise social, econômica e política, segue alguns fatores que colaboraram para essa crise:

                - enormes gastos públicos para sustentar uma imensa estrutura administrativa e militar;

                - aumento dos impostos para custear as despesas do exército e da imensa burocracia = descontentamento

                - enfraquecimento do comércio e das atividades urbanas

                - crescimento do número de miseráveis entre a plebe, os comerciantes e os camponeses

                - desordens sociais provocadas por rebeliões tanto das massas internas como dos povos dominados

                - disputas entre  os generais pelo poder = anarquia militar

                - inflação

                - pressão dos bárbaros que invadiam as fronteiras romanas

 

10 . Cristianismo  Jesus Cristo nasceu em Belém, na Galiléia, durante o reinado do imperador Augusto. Jesus fundou uma religião destinada a marcar profundamente a história da civilização ocidental: o cristianismo / depois da morte de Jesus, a doutrina cristã foi aos poucos se difundindo pelo Império Romano por meio da pregação de seus discípulos / teve ampla repercussão entre os pobres e escravos

- o cristianismo era considerado uma ameaça à sociedade romana. Afinal, os cristãos contestavam a escravidão, a autoridade e a adoração do imperador (eram monoteístas), a ganância e a vida imoral dos ricos. Tiveram início as perseguições = foram presos, mortos e torturados (no Coliseu, as multidões tinham o prazer sádico de assistir aos cristãos sendo torturados e mortos)

- no ano de 312, Constantino, imperador romano, converteu-se ao cristianismo, liberando seu culto em todos os domínios romanos através do Edito de Milão.

               

 

Nenhum comentário:

Postar um comentário