Loading...

quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

Guerra Fria, descolonização da Ásia e Oriente Médio – LISTA DE ATIVIDADES (9º. Ano EFII)

Guerra Fria, descolonização da Ásia e Oriente Médio – LISTA DE ATIVIDADES  (9º. Ano EFII)

 

1 . Após a ocorrência das duas grandes guerras mundiais, o mundo contemporâneo:

A) passou a ser caraterizado por um período de bipolarização conhecido como Guerra Fria: estão de um lado os Estados Unidos e o bloco capitalista; de outro, a antiga União Soviética e o bloco socialista. Isso não quer dizer que necessariamente todos os países capitalistas ou socialistas estivessem forçosamente alinhados com os Estados Unidos ou com a União Soviética.

B) conheceu o revigoramento dos antigos impérios coloniais da Inglaterra e da França nos continentes africano e asiático, a despeito das objeções dos Estados Unidos e da União Soviética, cujas áreas de influência ficaram restritas, respectivamente, à América Central e à Europa Oriental.

C) foi marcado pelo não alinhamento das antigas e novas nações. Por essa razão enfraqueceu-se a liderança das duas grandes superpotências emergidas no fim da Segunda Guerra Mundial, no caso os Estados Unidos e a União Soviética, quase que isoladas internacionalmente, uma vez que o alinhamento em torno de blocos ou eixos contribuiu para as duas grandes guerras.

D) testemunhou, logo após o fim da Segunda Guerra Mundial, em 1945, o surgimento da China como grande potência militar e econômica socialista em oposição aos Estados Unidos, grande potência capitalista. Isso ocorreu porque ainda que vitoriosa na Segunda Guerra, a Unição Soviética saiu cambalida e, portanto, incapaz de assumir qualquer papel importante no cenário mundial.

E) foi marcado por uma rápida e vigorosa expansão do socialismo em diversos países, tornando-se o socialismo real uma realidade na maioria dos países que haviam se libertado do domínio alemão na Europa e na África, bem como do domínio japonês na Ásia, ao fim da Segunda Guerra Mundial. São exemplos dessa expansão a França, a Holanda, a Líbia e as Filipinas.

Resposta: A (    ) B  (   )  C (    ) D (    )  E (    )

 

2 . Em dezembro de 1978, a capital do Irã, Teerã, foi invadida por dois milhões de iranianos, que saíram às ruas em protesto contra o governo do xá Reza Pahlevi. Era o auge de uma crise que mudaria radicalmente o cenário político do país. No início de 1979, um mês depois dos grandes protestos de Teerã, incapaz de resistir à pressão popular, o xá Reza Pahlevi fugiu do país. A queda da monarquia e a tomada do poder pelos fundamentalistas xiitas ficaram conhecidas como Revolução Islâmica. Em plebiscito, os iranianos optaram pelo sistema presidencialista de governo e, com a aprovação da nova Constituição, em abril de 1979, o Irã foi oficialmente declarado uma República Islâmica.

Sobre o processo político iraniano antes e depois da Revolução Islâmica, assinale V ou F para as afirmativas:

I .  A Revolução Islâmica no Irã de 1979 constituiu-se em fator preponderante para a redefinição das estratégias econômicas e geopolíticas norte-americanas no Oriente Médio, uma vez que, ao contrário da monarquia do xá Reza Pahlevi, tradicional aliada da União Soviética na região, o regime teocrático pró-ocidental iraniano, controlado pelos fundamentalistas xiitas, apoiou e continua a dar apoio à invasão dos Estados Unidos no Iraque, país que desde a ascensão do sunita Sadam Hussein ao poder, em 1980, disputava com o Irã o controle da produção de petróleo no Golfo Pérsico.

II .  No modelo de República Islâmica, instaurado no Irã com a revolução de 1979, o governo é dividido entre o poder laico, exercido por um presidente eleito pelo voto universal e que é o responsável pela coordenação das políticas governamentais, e o poder religioso, exercido por um aiatolá, ou seja, um alto sacerdote da religião muçulmana, que, sobrepondo-se ao presidente, como líder supremo, comanda os assuntos estratégicos, controla as Forças Armadas, o Poder Judiciário, parte do Legislativo e a hierarquia religiosa do país.

III . Além de mudanças profundas na estrutura política interna, a Revolução Islâmica iraniana trouxe transformações radicais nas relações internacionais do país, uma vez que a ascensão dos fundamentalistas xiitas ao poder permitiu um melhor contato cultural do Irã com países islâmicos do Oriente Médio, a exemplo de seu tradicional aliado, o Iraque, além de permitir uma abertura maior do país em relação ao Ocidente, dificultada durante todo o período da monarquia de caráter ultranacionalista do xá Reza Pahlevi.

I . (      ) II . (      )III . (      )

 

3 . Sobre a Guerra do Vietnã, considere as afirmativas a seguir.

I. A Guerra do Vietnã foi a primeira a ter cobertura televisiva em tempo real, transmitida diretamente das frentes de batalha.

II. A imprensa contribuiu para a revolta da opinião pública americana, ao divulgar imagens da guerra e oferecer espaço aos movimentos pacifistas.

III. The Terror of War documenta a dor e o desespero dos sul-vietnamitas após o uso, pelos americanos, de armas químicas como o napalm.

IV. A superioridade tecnológica norte-americana e o apoio da elite local enriquecida sob o domínio colonial francês, foram decisivos para a vitória do Vietnã do Sul.

Estão corretas apenas as afirmativas:

a) I e IV.

b) II e III.

c) II e IV.

d) I, II e III.

e) I, III e IV.

Resposta: A (    ) B  (   )  C (    ) D (    )  E (    )

 

4 . O Oriente Médio despontou na ordem mundial pós-Guerra Fria como uma das regiões que mais suscitam a atenção do mundo ocidental. Sobre essa região, é correto afirmar que

A) Iraque teve sua relação com os países árabes conturbadas somente após a extinção da União Soviética.

B) O Irã deve a sua atual configuração política à revolução de 1979, liderada pelo aiatolá Khomeini.

C) O Iraque, sob o governo de Saddam Hussein, contribuiu para a pacificação da região, ao propor alianças com o Irã e o Kuwait.

D) O Irã defende a criação de um Estado israelense com apoio dos EUA.  

Resposta: A (    ) B  (   )  C (    ) D (    )  


VARGAS 1930/1945 – LISTA DE ATIVIDADES (9º. Ano EFII)

VARGAS 1930/1945 – LISTA DE ATIVIDADES  (9º. Ano EFII)

 

1 .  Complete com V para verdadeiro e F para falso:

I . No início do século XX no Brasil, as condições de vida dos operários eram péssimas: baixos salários, castigos físicos nas fabricas extensas jornadas de trabalho, ou seja, não havia leis trabalhistas até a década 1930 quando Vargas chegou ao poder.  

II . O Governo Oligárquico  até 1930  mandava a polícia espancar os trabalhadores em suas manifestações por melhores condições de trabalho e de vida. A questão social era tratada como “caso de polícia”.

III . Com a Revolução de 1930, o Estado passou a se preocupar com a questão social, tanto que Vargas organizou as primeiras leis trabalhistas.

IV . Todos os militares apoiavam  a República Oligárquica.

I . (     )II . (     )III . (     )IV . (    )

 

 

2 . “...Por ocasião do recente movimento grevista, uma das reclamações mais insistentes dos operários era contra a exploração dos menores nas fábricas. (...) Entretanto, os industriais continuam a empregar menores em trabalhos impróprios. Entre eles, podemos citar nominalmente o Sr. (...), porque assistimos ontem a entrada de cerca de 60 pequenos as 19 horas, na sua fábrica da Mooca.. Trabalham, pois, 11 horas a fio, em serviço noturno, apenas com descanso de 20 minutos, a meia-noite! O pior é que elas se queixam de que são espancadas pelo mestre de fiação. Muitos nos mostraram equimoses nos braços e nas costas. Alguns apresentaram mesmo ferimentos produzidos por uma manivela. Uma há com as orelhas feridas por continuados e violentos puxões. Trata-se de crianças de 12,13 e 14 anos.” (In BOULOS Júnior, Alfredo. Historia do Brasil Vol.2 Ed. FTD SP 1995)

No contexto da crise da República Oligárquica que culminou (resultou) no processo que desencadeou a “Revolução de 1930” é incorreto afirmar que:

a) todos os setores urbanos, classe média, camponeses e proletariado industrial apoiavam o poder das oligarquias agrárias

b) burguesia reivindicava incentivo ao desenvolvimento industrial e maior participação política

c) o operariado pressionava por melhores condições de vida e de trabalho

d) as classes médias queriam maior atenção para a realidade urbana

e) os tenentes propunham reformas, como a instituição do voto secreto

Resposta: A (    ) B  (   )  C (    ) D (    )  E (    )

 

3 . (ENEM/adaptada)  A figura de Getúlio Vargas, como personagem histórica, é bastante polêmica, devido à complexidade e à magnitude de suas ações como presidente do Brasil durante um longo período de quinze anos (1930-1945). Foram anos de grandes e importantes mudanças para o país e para o mundo. Pode-se perceber o destaque dado a Getúlio Vargas pelo simples fato de este período ser conhecido no Brasil como a "Era Vargas".  Entretanto, Vargas não é visto de forma favorável por todos. Se muitos o consideram como um fervoroso nacionalista, um progressista ativo e o "Pai dos Pobres”, existem outros tantos que o definem como ditador oportunista, um intervencionista e amigo das elites.

Provavelmente você percebeu que as duas opiniões sobre Vargas são opostas, defendendo valores praticamente antagônicos. As diferentes interpretações do papel de uma personalidade histórica podem ser explicadas, conforme uma das opções abaixo. Assinale-a:

A) Um dos grupos está totalmente errado, uma vez que Vargas governou todo o períodde 1930 a 1945 em um regime democrático.

B) O grupo que acusa Vargas de ser ditador está totalmente errado. Ele nunca teve uma orientação ideológica favorável aos regimes politicamente fechados e só tomou medidas duras forçado pelas circunstâncias.

C) Os dois grupos estão certos. Cada um mostra Vargas da forma que serve melhor aos seus interesses, pois ele foi um governante apático e fraco - um verdadeiro marionete nas mãos das elites da época, sem apoio popular.

D) O grupo que defende Vargas como um autêntico nacionalista está totalmente enganado. Poucas medidas nacionalizantes foram tomadas para iludir os brasileiros, devido à política democrática do varguismo, e ele fazia tudo para agradar aos grupos estrangeiros como os EUA.

E) Os dois grupos estão errados, por assumirem características parciais e, às vezes conjunturais, como sendo posturas definitivas e absolutas. Ou seja, não se deve assumir posturas simplistas ao se referir a períodos históricos.

Resposta: A (    ) B  (   )  C (    ) D (    )  E (    )

 

4 . “Façamos a revolução antes que o povo a faça.” A frase, atribuída ao governador de Minas Gerais, Antônio Carlos de Andrada, deixa entrever a ideologia política da Revolução de 1930, promovida pelos interesses 

a) da burguesia cafeicultora de São Paulo, com vistas à valorização do café.

b) do operariado, com o objetivo de aprofundar a industrialização.

c) dos partidos de direita fascistas, no intuito de estabelecer um Estado forte.

d) das oligarquias dissidentes, aliadas ao tenentismo pela reforma do Estado.

e) da burguesia industrial, na busca de uma política de livre iniciativa.

Resposta: A (    ) B  (   )  C (    ) D (    )  E (    )

 

5 . A Europa dos anos 30 conheceu os extremismos resultantes do confronto ideológico entre os totalitarismos de esquerda e de direita. Eram representantes destes extremismos no Brasil:

a)
AIB – comunista e as oligarquias dissidentes – liberais.
b)
ANL – comunista e a AIB – nazi-fascista.
c)
Vargas – democracia e os tenentistas – ditadura.
d)
Oligarquias – ditadura e a ANL – nazi-fascista.

Resposta: A (    ) B  (   )  C (    ) D (    )  

 

6 . Sobre a Era Vargas (1930 a 1945), complete com V ou F:

I . Vargas chegou a presidência da República do Brasil em 1930  vencendo seu adversário Julio Prestes nas urnas.

II . Em 1932 os paulistas conduziram  uma guerra contra Vargas sendo a necessidade de uma constituição a principal justificativa.

III . Em 1934 Vargas venceu as eleições diretas, pois contou com o voto feminino e dos trabalhadores.

IV . Em 1937 Vargas foi deposto da presidência diante de um golpe realizado por João Pessoa e Washington Luis.

V. A economia neste período foi marcada pela presença do capital estrangeiro. 

I . (      ) II . (      )  III . (    )    IV .  (      ) ​V . (.    ). 

 

 

 

 

 

 

quarta-feira, 4 de dezembro de 2013

Estados Unidos no século XIX – LISTA DE ATIVIDADES (8º. Ano EFII)


Estados Unidos no século XIX – LISTA DE ATIVIDADES  (8º. Ano EFII)

 

1 . Complete com V ou F:

 

I . A pressão pública para abolição da escravidão nos estados do Norte, apoiada tanto pelos estados do Sul como pelo então presidente Abraham Lincoln, foi o principal motivo pelo qual os nortistas ameaçaram separar-se do resto do país, iniciando assim a guerra contra os estados abolicionistas.

 

II . Derrotados em 1965 na Guerra da Secessão, os nortistas foram obrigados a abolir a escravidão e, nesses estados, muitas organizações racistas, como a Ku-Klux-Klan, segregavam e perseguiam os recém-libertos e seus descendentes.

 

III . No decorrer do século XIX, as regiões norte e sul do país assumiram características diferenciadas. A diferença se tornou tamanha que levou a um conflito direto entre as regiões. O norte dos Estados Unidos recebeu um grande número de imigrantes que se tornou mão-de-obra para os empreendimentos industriais que vinham se expandindo. Logo os investimentos se transformaram em uma grande industrialização que resultaram em um enorme crescimento econômico da região norte.

 

 

2 . Ao longo do século XIX, os Estados Unidos da América tiveram um notável crescimento demográfico e uma grande expansão territorial, com a incorporação de territórios que conduziram à sua configuração geográfica atual, que se estende do oceano Atlântico ao oceano Pacífico. Complete com V ou F:

I . A expansão da Revolução industrial pela Europa continental transformou a realidade socioeconômica de vários países, ocasionando o rápido crescimento das cidades que por sua vez contribuiu para o agravamento do desemprego. Parte da população pobre dessas regiões, sobretudo da Itália, se dirigiram então para a América, em busca de melhores oportunidades de trabalho.

II . Chegando aos Estados Unidos, os imigrantes participaram do movimento de expansão territorial para o oeste, pois viam na possibilidade de descobertas de riquezas naturais, na plantação e na criação de animais nos novos territórios uma chance, ainda que muito, de enriquecimento.

III . A anexação do território do Texas, estado mexicano rebelde, pelos Estados Unidos, causou o acirramento das tensões entre os dois países e quando os EUA tentaram anexar mais territórios mexicanos eclodiu a guerra entre eles.  A superioridade bélica estadunidense era superior e a derrota mexicana mostrava-se irreversível.

 

3 . No contexto do processo da política externa, de conquistas e de anexação territorial de outros países, pelos Estados Unidos, durante o século XIX, pode-se apontar como justificativa:

A) a Doutrina Monroe, que tinha por objetivo evitar o envolvimento e a participação dos norte-americanos nas guerras e conflitos travados na América Latina.

B) o Corolário Roosevelt, cujo princípio era a oposição dos Estados Unidos à intervenção política e militar dos países europeus nos assuntos do continente americano.

C) a doutrina do “destino manifesto”, segundo a qual os norte-americanos tinham sido escolhidos por Deus para ocupar a área entre os oceanos Atlântico e Pacífico.

D) o Big Stick, que assegurou o direito dos Estados Unidos de promover intervenções militares em países onde estivessem em perigo os investimentos americanos.

E) a Doutrina Truman, segundo a qual os Estados Unidos passaram a fornecer ajuda militar aos países latino-americanos, ameaçados de recolonização pelos europeus.

Resposta da questão: a (   )  b (   )   c (   )  d (    )   e(    )   

 

REVOLTAS EMANCIPACIONISTAS, PERÍODO JOANINO, INDEPENDÊNCIA E 1 REINADO – LISTA DE ATIVIDADES (8º. Ano EFII)


REVOLTAS EMANCIPACIONISTAS, PERÍODO JOANINO, INDEPENDÊNCIA E 1 REINADO  – LISTA DE ATIVIDADES  (8º. Ano EFII)
 
1 . Complete com V ou F:
 
I . As revoltas separatistas – a Mineira e a Baiana – tem caráter liberal, sendo a mineira um movimento mais elitista e a baiana coordenada por líderes populares.
II . A Conjuração Mineira foi um movimento emancipacionista que visava implantar um regime monárquico no Brasil.
III .  O uso do termo “inversão” indicava que o Brasil passaria por uma série de mudanças que deixariam de lhe conferir a simples condição de colônia, para então se transformar na sede do Império Português. Em âmbito geral, podemos dizer que a inversão foi notada com a criação de novas leis, cargos públicos, transformações formais e, até mesmo, a realização de grandes obras públicas.
IV . Houve a  elevação do território colonial brasileiro à condição de reino, ou seja, o Brasil se tornou Reino Unido a Portugal.
V . Neste período foram criados no Brasil: os Correios, o Banco do Brasil e teatros.
VI . Os nordestinos cansados dos altos impostos pagos ao Rio de Janeiro (capital da colônia) e do poder absoluto do imperador decidiram pela separação do Brasil, evento que ficou conhecido como Confederação do Equador.
VII . Frei Caneca convidou D. Pedro para governar o novo país no nordeste brasileiro: Confederação do Equador.
VIII . O governo brasileiro tomou medidas impopulares ao manter-se nestas guerras como recorrer a  empréstimos estrangeiros para saldar suas dívidas.
IX. A constituição de 1824, a primeira do Brasil, foi democrática, com 3 poderes e garantia o voto censitário.
X . D. Pedro I governou de forma autoritária e perdeu apoio político.
 
2 . Assinale a alternativa que contém os eventos históricos na ordem cronológica correta:
I
II
III
IV
V
Sete de setembro de 1822, data da  Independência do Brasil 
Vinda da família real portuguesa ao Brasil, na época América Portuguesa
Bloqueio Continental imposto por Napoleão à Inglaterra
Revolução Liberal do Porto em Portugal 
Conjuração Mineira – movimento separatista na América Portuguesa
 
 
 
 
 
 
 
 
a)       V ; I ; III ; IV ; II .
b)       V ; III ; II ; IV ; I .
c)       I ; III ; IV ; V ; II .
d)       II ; V ; IV ; III ; I.
 
Resposta da questão: a (   )  b (   )   c (   )  d (    )  
 
3 . Com base em seus estudos sobre a independência da América Portuguesa – o Brasil, assinale a correta:
a)       Todos os escravos foram libertados por D. Pedro I.
b)       A liberdade garantiu a independência apenas da colônia não dos escravos afro-brasileiros.
c)       A principal mão-de-obra do Brasil nesta época era assalariada.
d)       Todos os escravos urbanos foram libertados no período do 1o. Reinado.
 
Resposta da questão: a (   )  b (   )   c (   )  d (    )  
 
4 .  A independência política do Brasil foi resultante de um processo que se iniciara no final do século XVIII com os movimentos que exigiram a emancipação, como a Conjuração Baiana e a Inconfidência Mineira.
Não podemos considerar como fator direto para crise do antigo sistema colonial:
a) a Independência dos EUA.
b) a Revolução Francesa.
c) a Revolução Industrial.
d) a Guerra Civil nos EUA.
e) o Iluminismo.
Resposta da questão: a (   )  b (   )   c (   )  d (    )    e (   )
 
 
 

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Resumo Roma Antiga


História – ROMA ANTIGA-


 

1 . Introdução

características geográficas → a Itália fica ao sul da Europa, numa península da parte central do mar Mediterrâneo / a península Itálica lembra o formato de uma bota / bom clima, planícies férteis, rios abundantes / atividades econômicas → inicialmente pastagens com muitos rebanhos e campos com muitas uvas /  economia agrária pastoril.

 

2 . Fundação

a . o mito → antiga lenda conta que Roma foi fundada pelos irmãos gêmeos Rômulo e Remo...

b . a realidade → as lendas geralmente contêm algo de verdade, os arqueólogos encontraram ruínas de uma aldeia que existiu no século VIII a.C., onde hoje está localizada a cidade de Roma /  dentre os povos antigos que povoaram essa região destacam-se: italiotas (latinos, volcos, úmbrios, sabinos, samnitas, équos), etruscos e gregos / os latinos e os sabinos se miscigenaram e foram os primeiros habitantes  de Roma

c . grupos sociais → a sociedade estava dividida entre:

- os patrícios (nobres ou aristocratas descendentes de famílias importantes) constituíram a classe dominante, como cidadãos desfrutavam direitos políticos e podiam desempenhar importantes funções públicas: no exército, na religião, na justiça, na administração etc / no plano econômico eram grandes proprietários de extensas terras, de rebanhos e de escravos

                - clientes eram homens livres que se associavam aos patrícios prestando-lhes diversos serviços pessoais em troca de auxílio econômico e proteção social, geralmente eram estrangeiros.

                - plebeus eram homens livres que se dedicavam ao comércio, ao artesanato e os trabalhos agrícolas / representavam a maioria da população romana / a princípio, os plebeus não tinham direitos de cidadão: não podiam exercer cargos públicos nem participar da política, não participavam do exército (o que era ruim, pois as armas eram controladas pelos patrícios / quando atacavam outras cidades para roubar suas riquezas, só os patrícios é que faturavam com a vitória)

                - os escravos eram sobretudo os prisioneiros de guerra / em alguns casos havia a escravidão por dívidas dos plebeus, o que foi abolido com as conquistas dos mesmos.

 

3 . A história de Roma e seu grandioso império é dividida em 3 grandes períodos:

- Monarquia (753-509 a.C.) → durante esse período, Roma foi uma pequena cidade que sofreu a dominação dos etruscos e influências de etruscos e gregos.

- República (509-31 a. C.) → período de quase 5 séculos, durante o qual Roma desenvolveu instituições sociais e econômicas e expandiu grandemente seu território.

- Império (27 a.C.- 476 d.C.) período de aproximadamente 5 séculos em que, depois de atingir sua fase de grande glória, Roma enfrentou inúmeros problemas internos e externos. A combinação desses problemas arrastou o império romano para a decadência.

 

4  . Monarquia /  domínio etrusco / embora existisse um rei uma  assembléia formada inicialmente apenas por patrícios era consultada para decisões importantes / existência de um senado vitalício  = patrícios.

5 . República

Com a instalação da república, os patrícios romanos montaram toda uma organização social e administrativa para exercer domínio sobre Roma e desfrutar os privilégios do poder / eram eles que controlavam a quase totalidade dos altos cargos da república.

                Os plebeus recusavam-se a servir no exército / fizeram diversas exigências aos patrícios/ conquistas plebéias: tribunos da plebe, Lei das Doze Tábuas (leis escritas válidas para plebeus e patrícios), Lei Canuléia (autorizava casamento entre patrícios e plebeus), proibição da escravização por dívidas e direito de eleger cônsules plebeus.

6 . A expansão territorial dos romanos

Os primeiros passos da expansão militar consistiram no domínio completo da península Itálica.  Mais tarde, tiveram início as guerras contra Cartago (Guerras Púnicas), que era uma importante cidade comercial. Arrasando Cartago, os romanos abriram caminho para dominar as regiões: do mar Mediterrâneo ocidental (península Ibérica, Gália); Mediterrâneo oriental(Macedônia, Grécia, Ásia Menor) e o norte da África (Egito)

conseqüências da expansão → as conquistas militares trouxeram a Roma a riqueza extraída dos povos dominados = o estilo de vida romano, antes simples e modesto, evoluiu em direção ao luxuoso, ao requintado e ao exótico

                Os nobres se apoderaram das terras dos pequenos proprietários plebeus (que estavam atuando nas guerras) / parcela considerável desses plebeus empobreceu e migrou para as cidades, engrossando a massa dos desocupados e famintos (eram substituídos por escravos)

                Diante da situação de tensão que existia na república romana, os irmãos Tibério e Caio Graco, que eram tribunos da plebe, tentaram promover uma reforma social que tinha como objetivo melhorar as condições de vida da massa plebéia. Entre outras coisas,a reforma dos Graco propunha uma distribuição de terras (reforma agrária) entre os camponeses plebeus, congelar o preço dos alimentos... em face de suas medidas, os irmãos Graco sofreram forte oposição do senado romano, sendo assassinados a mando dos nobres, apavorados com o apoio popular que eles receberam.

                Para os habitantes pobres de Roma, o governo distribuía pão de graça e promovia festas. A fórmula “pão e circo” significava que os pobres podiam ser dominados se fosse dado a eles um pouco de comida e de diversão.

 

7 . Crise da República Romana – As conquistas militares trouxeram novos confrontos pelo controle político de Roma / sem solução para a crise instalada, a república entrou num período de grande instabilidade = diversos chefes militares entraram sucessivamente em luta pelo poder político / numa situação de calamidade pública era possível eleger um ditador com plenos poderes para salvar a república, mas ele só exercia o cargo por 6 meses, depois tinha que sair.

                As guerras foram reforçando a importância do exército para Roma. O general Mário foi o primeiro que conseguiu ser eleito cônsul / ficava claro que para o indivíduo alcançar o poder ele precisava do apoio do exército e dos nobres / com o exército teria a força das armas, com os nobres teria a força da riqueza = vários generais se utilizaram desses meios para controlar Roma.

                *60 a.C.: Pompeu, Crasso e Júlio César formavam o primeiro triunvirato (governo formado por 3 pessoas) / Crasso foi assassinado pouco tempo depois de assumir o poder / Júlio César saiu vitorioso conta Pompeu e tornou-se ditador supremo de Roma / em 44 a.C. foi assassinado numa conspiração organizada por membros do senado, pois foi acusado acumular poderes e prejudicar a República...

                *43 a.C.: Marco Antônio, Otávio e Lépido formaram o segundo triunvirato / Lépido foi forçado a retirar-se da política / proclamando ao senado que Marco Antônio pretendia formar um império no Oriente / Otávio conseguiu apoio dos romanos para derrotar Marco Antonio, tornando-se e grande senhor de Roma, recebeu vários títulos, inclusive o de Augusto (escolhido dos deuses), até receber o título de imperador... fim da república!

 

8   . Império → Para manter as aparências, Otávio Augusto conservou o Senado e a Assembléia Popular, mas quem dava as ordens mesmo era ele / as instituições continuaram existindo, o problema que foi a grande diminuição da importância delas = o poder estava mesmo era com o imperador que comandava o exército e a marinha, ele é que governava, fazer leis e controlar os cidadãos / era também o chefe religioso / o imperador nomeava pessoas ricas e patrícias para os cargos de destaque, como o de prefeito de uma cidade ou governador de uma província.  Durante o longo governo de Otávio Augusto, foram promovidas várias reformas sociais e administrativas / Roma ganhou em prosperidade econômica / o exército foi profissionalizando ainda mais / o imenso império passou a desfrutar um período de paz e segurança, conhecido como Pax Romana.

                Após a morte de Otávio Augusto, em 14 d.C., uma longa lista de imperadores ocuparam o trono romano: a dinastias dos Júlio-claudianos (14-68), a dinastia dos Flavianos (69-96), a dinastia dos Antoninos (96-192) e a dos Severos (193-235).

               

9 . Desintegração do Império Romano: Com o fim conquistas territoriais o império romano foi sendo corroído por uma longa crise social, econômica e política, segue alguns fatores que colaboraram para essa crise:

                - enormes gastos públicos para sustentar uma imensa estrutura administrativa e militar;

                - aumento dos impostos para custear as despesas do exército e da imensa burocracia = descontentamento

                - enfraquecimento do comércio e das atividades urbanas

                - crescimento do número de miseráveis entre a plebe, os comerciantes e os camponeses

                - desordens sociais provocadas por rebeliões tanto das massas internas como dos povos dominados

                - disputas entre  os generais pelo poder = anarquia militar

                - inflação

                - pressão dos bárbaros que invadiam as fronteiras romanas

 

10 . Cristianismo  Jesus Cristo nasceu em Belém, na Galiléia, durante o reinado do imperador Augusto. Jesus fundou uma religião destinada a marcar profundamente a história da civilização ocidental: o cristianismo / depois da morte de Jesus, a doutrina cristã foi aos poucos se difundindo pelo Império Romano por meio da pregação de seus discípulos / teve ampla repercussão entre os pobres e escravos

- o cristianismo era considerado uma ameaça à sociedade romana. Afinal, os cristãos contestavam a escravidão, a autoridade e a adoração do imperador (eram monoteístas), a ganância e a vida imoral dos ricos. Tiveram início as perseguições = foram presos, mortos e torturados (no Coliseu, as multidões tinham o prazer sádico de assistir aos cristãos sendo torturados e mortos)

- no ano de 312, Constantino, imperador romano, converteu-se ao cristianismo, liberando seu culto em todos os domínios romanos através do Edito de Milão.

               

 

Resumo expansão marítima


EXPANSAO MARÍTIMA E COMERCIAL EUROPEIA

I . Os europeus a partir dos séc. XV e XVI conheceram e passaram a manter contatos com a África, Ásia e América / integraram essas regiões ao comercio europeu / início dos tempos modernos

 

II . Fatores para expansão marítima e comercial européia

- econômicos → prosseguimento do Renascimento Comercial / saída para as crises do séc. XIV / desejo de países europeus quebrarem o monopólio do comércio de especiarias das cidades italianas / necessidade de encontrar novos mercados fornecedores e consumidores / necessidade de encontrar metais preciosos para cunhar moedas

- sociais → burguesia necessitava expandir suas atividades para se firmar dentro da sociedade

- técnicos → bússola / astrolábio/ pólvora / caravela / cartografia

- religiosos → espírito cruzadístico / interesse pela catequese

- queda de Constantinopla → essa cidade era o entreposto comercial de especiarias / a tomada da cidade pelos turcos deu impulso para a procura de nova rota marítima para o Oriente

 

III . Expansão Marítima Portuguesa → pioneirismo português na expansão / razões = posição geográfica privilegiada + forte grupo mercantil + precoce centralização política + preparo técnico + ideal cruzadístico da nobreza / ciclos português de navegações → CICLO ORIENTAL  ou Périplo Africano = contorno da África e depois Oriente / CEUTA – 1415 / Bartolomeu Dias dobrou o Cabo da Boa Esperança – 1488 / Vasco da Gama chegou a Calicute na Índia – 1498 / Cabral comanda viagem a Índia e chega ao Brasil – 1500

 

IV . Expansão Marítima Espanhola → início em 1492 / razões do atraso = falta de centralização política e presença árabe / 1492 os reis Fernando e Isabel expulsaram árabes do último território (Granada) e iniciaram expansão / ciclo espanhol → CICLO OCIDENTAL / Cristovão Colombo chegou a América em 1492 / Fernão de Magalhães realizaram 1ª. viagem de circunavegação  - 1519 a 1522

 

V . Tratados entre Espanha e Portugal

- Bula Inter Coetera (1493)

- Tratado de Tordesilhas (1494)

 

VI . Expansão Marítima e Comercial Européia → França, Inglaterra e Holanda não participaram imediatamente da expansão marítima porque enfrentavam problemas internos e externos / participaram mais tarde através da pirataria, contrabando e estabelecimento de colônias nas regiões portuguesas e espanholas

 

VII . Consequências da Expansão Marítima e Comercial Européia →choque entre Espanha e Portugal pela divisão das novas terras, resolvido pelo Tratado de Tordesilhas / eixo comercio europeu deixou de ser o mar do Mediterrâneo e passou a ser o oceano Atlântico / liderança comercial passou dos italianos para os ibéricos e depois holandeses e ingleses / formação de grandes impérios coloniais / mercantilismo e pacto colonial / revolução comercial = comércio toma proporções mundiais / grande afluxo de metais preciosos para a Europa / restabelecimento da escravidão / imposição da cultura européia ou europeização do mundo

 

Atividades: Alexandre da Macedônia e Roma Antiga


Complete com V ou F:

 

1 . Apesar de violento, Alexandre também era culto e sofisticado.   Alexandre liderou um exército de milhares de homens e atravessou a Ásia Menor. Esse exército era formado por macedônios e gregos. Além dos soldados, Alexandre também levou cientistas para estudar as áreas dominadas.

2 . Como resultado de todas essas campanhas, Alexandre criou um império que se estendia da Grécia ao rio Indo. Ele não voltou para a Macedônia, permanecendo na Babilônia. Imitando os antigos reis persas, ele cercou-se de luxo e até ordenou que seus nobres se ajoelhassem diante dele e beijassem sua mão.

3 . Alexandre contribuiu para a difusão da cultura grega no Oriente. Suas conquistas aproximaram Ocidente e Oriente, dando origem a uma nova cultura, a helenística, resultado da mistura das culturas ocidental e oriental. Em grande parte, essa mistura foi estimulada pelo próprio Alexandre, que além de ser tolerante em relação à religião e cultura dos povos conquistados, incentivava que os homens do exército se casassem com mulheres orientais.

4 . A  história de Roma Antiga é fascinante em função da cultura desenvolvida e dos avanços conseguidos por esta civilização. De uma pequena cidade, tornou-se um dos maiores impérios da antiguidade. Dos romanos, herdamos uma série de características culturais. O direito romano, até os dias de hoje está presente na cultura ocidental, assim como o latim, que deu origem a língua portuguesa, francesa, italiana e espanhola.

5 . Os romanos explicavam a origem de sua cidade através do mito da Guerra do Peloponeso. Segundo a mitologia romana, os guerreiros espartanos e os atenienses teriam fundado a cidade de Roma.

6 . A história política de Roma foi assim dividida: Império, Monarquia e Democracia.

7 . Os principais grupos sociais de Roma eram: os escravos e os clientes.

8 . Os plebeus lutaram por direitos mas não conseguiram aprovar nenhuma proposta, por exemplo as leis continuaram orais até o fim do Império Romano.

9 . As guerras contra Cartago resultaram no controle romano sob o Mar do Mediterrâneo.

10. Com o domínio no Mediterrâneo o número de escravos diminuiu com as conquistas romanas, assim os plebeus tiveram mais oportunidades de trabalho diminuindo as diferenças entre ricos e pobres.

11 . Diante do grande número de desempregados, receoso de que pudesse acontecer alguma revolta, o imperador criou a política do Pão e Circo. Esta consistia em oferecer aos romanos alimentação e diversão.

12 . A cultura romana foi muito influenciada pela  cultura grega. Os romanos "copiaram" muitos aspectos da arte, pintura e arquitetura grega.