Loading...

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Atividades sobre Expansão Árabe e Islamismo

1 - “O islamismo é a religião fundada pelo profeta Mohammad no início do século VII, na região da Arábia. O Islã é o conjunto dos povos de civilização islâmica, que professam o islamismo; em resumo, é o mundo dos seguidores dessa religião. O muçulmano é o seguidor da fé islâmica, também chamado por alguns de islamita. O termo maometano às vezes é usado para se referir ao muçulmano, mas muitos rejeitam essa expressão - afinal, a religião seria de devoção a Deus, e não ao profeta Mohammad.”  Gilberto Cotrim

Com base no texto assinale a verdadeira:

a) Os muçulmanos não são obrigatoriamente árabes.
b) As raízes do islamismo são contrastantes com as origens do cristianismo e judaísmo.
c) Os muçulmanos acreditam num Deus diferente dos cristãos e judeus.
d) Os muçulmanos praticam uma religião violenta e muitas vezes extremista.

2 – “Em árabe, Islã significa "rendição" ou "submissão" e se refere à obrigação do muçulmano de seguir a vontade de Deus. O termo está ligado a outra palavra árabe, salam, que significa "paz" - o que reforça o caráter pacífico e tolerante da fé islâmica. O termo surgiu por obra do fundador do islamismo, o profeta Maomé, que dedicou a vida à tentativa de promover a paz em sua Arábia natal.”  Claudio Recco

Leia com atenção:

I. Assim como as duas outras grandes religiões monoteístas – o Judaísmo e o Cristianismo, as raízes do Islamismo vêm do profeta Abraão. O profeta Mohammod, fundador do islamismo, seria descendente do primeiro filho de Abraão, Ismael. Moisés e Jesus seriam descendentes do filho mais novo de Abraão, Isaac. Abraão, o patriarca do judaísmo, estabeleceu as bases do que hoje é a cidade de Meca e construiu a Caaba - todos os muçulmanos se voltam a ela quando realizam suas orações.

II . Alá é simplesmente a palavra árabe para "Deus". A aceitação de um Deus único é idêntica à de judeus e cristãos. Deus tem o mesmo nome no judaísmo, no cristianismo e no islamismo, e Alá é o mesmo Deus adorado pelos judeus, cristãos e muçulmanos.

III . Uma pessoa se torna muçulmana quando proferir, em árabe e diante de uma testemunha, que "não há divindade além de Deus, e Mohammad é o Mensageiro de Deus". O processo de conversão extremamente simples é apontado como um dos motivos para a rápida expansão do islamismo pelo mundo. .

IV . Uma minoria entre os cerca de 1,3 bilhão de praticantes da religião é adepta de interpretações radicais dos ensinamentos de Maomé. Entre eles, a violência contra outros povos e religiões é considerada uma forma de garantir a sobrevivência do Islã em seu estado puro. Para a maioria dos seguidores do islamismo, contudo, a religião muçulmana é de paz e tolerância.

Estão corretas:

a) I, II e III
b) II, III e IV
c) I, III e IV
d) I, II, III e IV
e) II e IV

3 - “Os hábitos estão integrados às culturas, não necessariamente à religião.”
A partir da afirmação acima pode-se aferir, EXCETO:
a) A base da religião muçulmana não determina qualquer tipo de discriminação grave contra a mulher.
b) As interpretações radicais das escrituras deram origem a casos brutais de opressão contra a mulher .
c) Nos países que seguem com rigor a Sharia, e têm tradições contrárias à libertação da mulher é comum a opressão às mulheres.
d) O problema da opressão à mulher muçulmana é causado pela crença islâmica em si que impõe várias restrições às mulheres.

4 - O islamismo, religião fundada por Mohammad e de grande importância para unidade árabe, tem como fundamento:

a) o monoteísmo, influência do cristianismo e do judaísmo, observado por Mohammad entre os povos que seguiram essas religiões;
b) o culto aos santos e profetas através de imagens e ídolos.
c) o politeísmo, isto é, a crença em muitos deuses dos quais o principal é Mohammmad.
d) o princípio da aceitação dos desígnios de Alá em vida e a negação de uma vida pós-morte.
e) a concepção do islamismo vinculado exclusivamente aos árabes, não podendo ser professado pelos povos inferiores.

5 - Os movimentos fundamentalistas, que tudo querem subordinar à lei islâmica (Sharia), são hoje muito ativos em vários países da África, do Oriente Médio e da Ásia. Eles tiveram sua origem histórica:

a) no desenvolvimento do islamismo, durante a Antiguidade na Península Arábica, quando Mao Tsé Tung iniciou o movimento através dos escritos do livro sagrado: “Alcorão”.
b) na expansão da civilização árabe durante a Idade Média, quando o islamismo, unificou os povos árabes e foi a justificativa religiosa para a ampliação dos territórios e a formação de vários reinos árabes-islâmicos no oriente e no ocidente.
c) durante a transição do feudalismo para o capitalismo, depois que o papa Urbano II iniciou o movimento cruzadista a fim de conter o avanço islâmico para o ocidente.
d) no estabelecimento do império Turco-Otomano, com base em Istambul, durante a Idade Moderna.
e) na ocupação do mundo árabe pelos europeus, entre a segunda metade do século XIX e a primeira do século XX.

6 - “Os beduínos do interior organizaram-se em tribos, contrastando com formas de sociedades mais evoluídas existentes no litoral. Todos, porém eram atraídos igualmente para a atividade mais lucrativa da Arábia: o comércio.” Mario Schmidt

Com base no texto acima e em seus conhecimentos, podemos afirmar que:

a) a civilização árabe desenvolveu-se na Península Arábica, especialmente na região litorânea sul e nos oásis
b) os beduínos dedicavam-se exclusivamente a grande produção agrícola e estavam espalhados pelo litoral da península.
c) a inexistência de desertos e a grande abundância de terras férteis da Península Arábica, levou a civilização árabe a desenvolver o comércio
d) não havia guerras e disputas entre as várias tribos do litoral da península e esta sempre foi uma civilização pacífica.
e) o comércio, atividade econômica principal dos árabes somente era realizado no interior da Península Arábica

7 - “Os árabes não formavam um povo unido. Eram divididos em tribos. Cada uma tinha seu chefe, suas leis, sua religião, seus deuses e ídolos. Únicos traços comuns entre eles eram a língua árabe e o culto a “pedra negra”. As tribos frequentemente lutavam umas com as outras. Mas todos os anos, durante quatro meses, deixavam as rivalidades, reuniam-se numa peregrinação a cidade sagrada que transformava-se então num grande entreposto comercial, onde as caravanas faziam seus negócios e se reabasteciam-se de mercadorias.” (DUARTE, Gleuso D)

Utilize o texto acima e seus conhecimentos referente a Arábia pré-islâmica para assinalar a alternativa correta:

a) Antes de Maomé, os árabes viviam divididos em várias tribos e cultuavam o mesmo deus.
b) O mesmo líder político orientava todas as tribos árabes
c) A pedra negra encontrava-se na Caaba
d) Meca era somente o centro religioso dos árabes
e) As tribos árabes falavam línguas diferentes e eram monoteístas.

8 - Utilize o texto da questão anterior e seus conhecimentos referente a Arábia pré-islâmica para assinalar a alternativa correta :

a) as tribos eram rivais umas das outras, mas deixavam as rivalidades de lado durante as peregrinações a Meca
b) na Caaba, os árabes realizavam o culto a Alá
c) ir a Meca todos os anos era o compromisso exclusivo dos chefes tribais
d) para a família Coraixita (que cuidava da Caaba) o politeísmo significava prejuízo, daí o interesse em querer preservar o monoteísmo religioso.
e) a Pedra Negra encontrava-se na cidade de Medina, local em que as diversas tribos realizavam as peregrinações e atividade comercial.

9 - Sobre a formação da civilização muçulmana é correto afirmar que:
a) A Arábia pré-islâmica se caracteriza politicamente pela centralização do poder e pela organização tribal
b) No interior da península da Arábia, o predomínio da economia mercantil possibilitou o contato com a Europa cristã desde o século III
c) Na estrutura social dos árabes não havia diferenças sociais e ocorria grande valorização das mulheres.
d) Antes de Maomé, as árabes acreditavam em vários deuses e eram idolatras (adoravam ídolos).
e) Todas as tribos da Arábia conviviam pacificamente unidas pelo ideal judaico.

10 - “Desenvolvimento comercial e expansão territorial com a formação de um grande Império na Idade Media, aproveitando o caráter guerreiro dos beduínos e a necessidade e a necessidade econômica de expansão comercial e terras férteis. Os preceitos religiosos levaram a solidariedade entre os iguais e o ódio aos diferentes; assim evitaram-se as guerras internas e formou-se a ideologia para o domínio de outros povos.” Claudio Vicentino

a) a partir do texto, relacione a religião com a expansão muçulmana
b) analise a importância de Mohammad é para o povo árabe.

11 - “Durante séculos, as civilizações do Islã foram muito superiores às ocidentais. A combinação de idéias orientais e ocidentais provocou grandes avanços na Medicina, Matemática, Física, Arquitetura e Artes, entre outras áreas. Muitos elementos importantes para o avanço do homem, como os instrumentos de navegação marítima e os sistemas algébricos, surgiram no Islã. Nos últimos séculos, contudo, os povos do ocidente conquistaram a supremacia das novas descobertas. A religião islâmica não pode ser apontada como origem do abismo crescente entre algumas potências do Ocidente e alguns países subdesenvolvidos do Islã. O fundamentalismo muçulmano, contudo, é visto por muitos especialistas como enorme barreira ao avanço destes povos orientais.” Texto extraído do site http://veja.abril.com.br/idade/exclusivo/islamismo/perguntas.html

Com base no texto acima analise a afirmação: “Os muçulmanos são mais atrasados do que os povos ocidentais.”

domingo, 29 de agosto de 2010

Atividades sobre Guerra Fria para 9 ano EF

1 . Com base em seus estudos sobre o mundo bipolar e na foto mundobipolar, responda:


a) Quem é o casal da imagem?
b) Explique por que estão nus nesta foto?
c) Comente sobre o período histórico que se relaciona a esta foto.

2 . Pesquise o significado das imagens sobre a  Guerra Fria.




3 . Explique como o movimento de Martin Luther King e de Malcoln X nos EUA estão relacionados a Guerra do Vietnã.


4 . Vocês consideram que os princípios da ONU têm sido respeitados no mundo atual? Dê exemplos que justifiquem sua resposta

5 . Vocês consideram a ONU capaz de resolver os conflitos de forma pacífica e negociada?

6 . De que maneira o Estado de bem-estar social se insere no contexto da Guerra Fria?

7 .  Pesquise sobre a Guerra do Vietnã e dê um título para a imagem.

sábado, 7 de agosto de 2010

Atividades China Antiga e Índia Antiga

1 - Analise as afirmações e coloque V para as verdadeiras e F para as falsas:


a) China - a civilização mais antiga existente no mundo possui uma história escrita de mais de 3.500 anos. Seu nome chinês, “zhong guo”, significa “país do meio” ou “reino central”. Os antigos chineses acreditavam que seu país era o centro geográfico do mundo, e a única cultura civilizada. ( )



b) Sidarta Gautama é conhecido como o Buda Supremo, sendo a personalidade chave do Budismo. De acordo com antigos textos budistas, o fundador do Budismo era filho de um rei. Ele se tornou monge como forma de superar o sofrimento humano, finalmente alcançando a iluminação e transformando-se no Buda. ( )



c) O Budismo acredita na pureza da mente e das ações, e na purificação do carma (a lei da causalidade moral). As boas ações geram uma reação de mesma qualidade e intensidade, nesta vida ou em uma outra encarnação, gerando carma positivo, e a mesma lei age sobre as más ações, gerando carma negativo. Com o carma livre de toda a negatividade, é possível atingir o estado do nirvana – o fim do sofrimento trazido pela existência cíclica. ( )



d) O Imperador chinês ordenou a construção da Grande Muralha da China para defender seu reino contra a invasão estrangeira. A Grande Muralha, ampliada e reconstruída por dinastias futuras, se estende por cerca de 7.240 quilômetros, do Mar Amarelo à Xinjiang, na China ocidental. ( )



e) Os antigos chineses constituíam uma das civilizações mais cientificamente avançadas do mundo. Seus feitos incluem a bússola, a pólvora, o papel e a impressão, celebrados pelos chineses como as “quatro grandes invenções da China antiga”. ( )



f) Um animal lendário que os chineses identificam como símbolo de força vital e invencibilidade: o dragão. Ao contrário do que pensam os ocidentais, os dragões chineses são simpáticos e trazem sorte. Os dragões têm corpo de serpente com escamas e asas para voar. Estão associados ao fogo e a água: a harmonia dos contrários, além de outros dois elementos naturais o ar e a terra. ( )



g) Os diversos povos da Índia tiveram em comum a fascinação e o respeito pelos animais. Os hindus, budistas e jainas consideravam todas as formas de vida como igualmente importantes, pois as julgavam encarnações de uma energia ou força vital única. Acreditavam que quando uma pessoa morria essa energia era reencarnada em alguma outra forma. Matar um ser vivo era inadmissível. Até um inseto poderia ser vitalizado pela alma de um antepassado ou amigo. Em uma forma ainda mais forte de expressar esse sentimento pelos animais, a mitologia hindu dotou os deuses de atributos animais. ( )



h) Os árias, falando língua indo-européia, brancos, altos, chegaram à Índia entre 2000 e 500 a.C. Eram grandes guerreiros e pastores. As lutas travadas entre suas tribos são descritas nos poemas épicos "Mahabharata" e Ramayana" . Os sacerdotes árias criaram o sistema de castas como uma forma de dominação da população indiana primitiva. ( )



2 - Complete:

O Budismo surgiu na _______________, mas hoje em dia quase não há budistas por lá. O Budismo conseguiu milhões de adeptos por exemplo na(o) _____________.



3 - Explique como a religião hinduísta através da idéia da reencarnação estimulava a dominação das castas inferiores na Índia.



4 - Com base no Budismo explique como se alcança o nirvana.

atividades Mesopotâmia

Utilize o texto abaixo para responder as questões 1 e 2


Os vestígios arqueológicos são limitados (poucos) e por isso não se pode definir como a organização política e social se dava exatamente dentro de algumas das primeiras cidades mesopotâmicas. Uma das fontes de referência para o estudo da Mesopotâmia, que não um dos documentos encontrados nas escavações na região, é a bíblia. Nela se fazem referências as cidades de Ur, Nínive e Babilônia . Muitas das histórias presentes no Antigo Testamento são possivelmente derivadas de tradições dessa região, por exemplo o dilúvio e a história de Noé.

1 . Segundo o texto os estudos da Mesopotâmia

a) estão completos devido a descoberta de todas as informações sobre essa civilização.

b) não começaram porque os arqueólogos não acharam nenhum tipo de material.

c) foram interrompidos porque os arqueólogos encontraram um grande número de documentos históricos que precisam ser analisados

d) dependem de documentos históricos que são poucos, por isso não podemos definir com certeza a organização das primeiras cidades.

2 . Segundo o texto a bíblia:

a) fornece informações apenas dos egípcios.

b) explica somente a história da Arca de Noé.

c) apresenta referências a civilização mesopotâmica.

d) não serve como documento histórico.



Utilize o texto abaixo para responder a questão 3

A região foi ocupada por muitos povos nômades vindos de diversas regiões. A terra fértil fez com que alguns desses povos aí se estabelecessem. Do convívio entre muitas dessas culturas floresceram uma vasta e riquíssima cultura. Os povos que ocuparam a região foram os sumérios, os acádios, os amoritas ou antigos babilônios, os assírios, os elamitas e os caldeus ou novos babilônios.

3 . O texto se refere a região:

a) Grega c) Mesopotâmica

b) Egípcia d) Africana



Utilize o texto abaixo para responder a questão 4

A escrita ¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬¬______________, grande realização sumeriana, usada pelos sírios, hebreus e persas, surgiu ligada às necessidades de contabilização dos templos. Era uma escrita ideográfica, na qual o objeto representado expressava uma idéia. Os sumérios - e, mais tarde os babilônicos e os assírios, que falavam acadiano - fizeram uso extensivo da escrita ____________.

4 . O texto acima se refere a escrita:

a) Latina c) Alfabeto

b) Cuneiforme d) Matemática



Utilize o texto abaixo para responder as questões 5, 6 e 7

O Código de __________, até pouco tempo o primeiro código de leis que se tinha notícia, é a reunião de leis dos mesopotâmicos. Ele apresenta uma diversidade de procedimentos jurídicos e determinação de penas para vários crimes. Contém 282 leis, abrangendo praticamente todos os aspectos da vida mesopotâmica, passando pelo comércio, propriedade, herança, direitos da mulher, família, falsas acusações e escravidão. Suas principais características são: Pena ou Lei de Talião, isto é, “olho por olho, dente por dente”, desigualdade perante a lei (as punições variavam de acordo com a posição social da vítima e do infrator), divisão da sociedade em classes (os homens livres, os escravos e um grupo intermediário pouco conhecido – os mushkhinum) e igualdade de filiação na distribuição da herança. O Código de __________ reflete a preocupação em disciplinar a vida econômica (controle dos preços, organização dos artesãos, etc.) e garantir o regime de propriedade privada da terra. Os textos jurídicos mesopotâmicos invocavam os deuses da justiça, os mesmos da adivinhação, que decretavam as leis e presidiam os julgamentos.

5 . O texto se refere ao Código de:

a) Talião c) Leis

b) Hamurabi d) Justiça Mesopotâmica

6 . O Código abordado no texto pode ser considerado:

a) Justo porque todos deveriam pagar pelo crime, independente da classe social.

b) Injusto porque nem todos pagavam pelo crime, pois a classe rica poderia obrigar um escravo a receber a punição.

c) Injusto, pois o rei era considerado o juiz e decidia quem iria pagar pelo crime.

d) Justo, porque resolve o problema da vítima e do infrator.

7 . Qual afirmativa corresponde corretamente a Lei de Talião:

a) Liberdade apenas para criminosos ricos.

b) O castigo do criminoso deveria ser exatamente proporcional ao crime por ele cometido.

c) A disciplina vinha acompanhada com pouco rigor, por exemplo: limpar a cidade de graça por um determinado tempo.

d) Ninguém conseguia se livrar da punição.



Utilize o texto abaixo para responder a questão 8

Os deuses, extremamente numerosos, eram representados à imagem e semelhança dos seres humanos. O sol, a lua, os rios, outros elementos da natureza e entidades sobrenaturais, também eram cultuados. Embora cada cidade possuísse seu próprio deus, havia entre os sumérios algumas divindades aceitas por todos. Na Mesopotâmia, os deuses representavam o bem e o mal, tanto que adotavam castigos contra quem não cumpria com as obrigações.

8 . Com base no texto podemos concluir que a religião mesopotâmica era:

a) Monoteísta c) Inexistente

b) Politeísta d) Representada por animais.

Utilize o texto abaixo para responder a questão 9 e 10

A escrita se desenvolveu de forma independente em várias regiões do planeta, incluindo o Oriente Médio, o Japão, o vale do rio Indo (atual Paquistão), a América Central e a bacia oriental do mar Mediterrâneo. As escritas mais antigas são a escrita cuneiforme e os hieróglifos, ambos sistemas de escrita criados há cerca de 6 mil anos. Os hieróglifos originaram-se no Antigo Egito e a escrita cuneiforme na Mesopotâmia (atual Iraque). Os mais antigos documentos que sobreviveram são rótulos (em potes de alimentos), listas de plantas, animais, deuses e reis. A escrita monumental com o nome de um soberano - como nas enormes lajes de pedra da América Central - indicava sua classe social e realçava seu poder. Em geral, a escrita e a sua interpretação ficavam restritas (reservadas) às camadas sociais dominantes: aos sacerdotes e à nobreza. Uma das principais conseqüências do surgimento das cidades e dos Estados foi a escrita, criada por volta de 3200 a.C. Vários são os fatores que explicam o nascimento da escrita como a necessidade de contabilizar os produtos comercializados, os impostos arrecadados e os funcionários do Estado.

9 . Com base no texto acima assinale a CORRETA:

a) A escrita surgiu apenas na Mesopotâmia.

b) Não restaram nenhum tipo de documentos mais antigos.

c) As escritas mais antigas são a cuneiforme e os hieróglifos.

d) A escrita surgiu ao mesmo tempo e da mesma forma em várias regiões do planeta, como o Japão e a America Central.



10 . No contexto das informações do texto assinale a INCORRETA:

a) A escrita era usada por todas as classes sociais.

b) A escrita surgiu para atender uma necessidade na época do aparecimento das primeiras cidades.

c) Os comerciantes sentiam a necessidade de registrar seus negócios, por isso a escrita.

d) A escrita era mais utilizada para registrar o nome e realizações de pessoas consideradas importantes, como os reis e nobres.

atividades Hebreus, Persas e Fenícios

Hebreus, fenícios e persas


1 . A herança (legado) dos hebreus para o mundo atual é o .....................

2 . As principais fontes para o estudo da história dos hebreus são os .......................

3 . A história política dos hebreus é dividida em três grandes períodos: governo dos ..................... , governo dos .................. e governo dos ................

4 . Identifique o nome de um governante que se destacou em cada período político da História dos Hebreus.

5 . A Palestina é considerada pelos hebreus como a ................ .......................

6 . O que foi o Êxodo para os hebreus? Explique.

7 . Os hebreus dividiram-se em quantos reinos depois da morte de Salomão? Quais são eles?

8 . O que é uma nação?

9 . O que é um Estado?

10 . Em 1948 foi criado Israel no Oriente Médio. Antes disso os hebreus antigos ou judeus viviam como uma nação ou como Estado? Explique.

11 . Enquanto a maioria dos povos da Antiguidade era politeísta, os hebreus era ..................



12 . Os judeus acreditam na vinda de um ......................., que será enviado por .............. para conduzir os homens à salvação eterna.

13 . Explique a principal diferença entre judeus e cristãos.

14 . Os fundamentos da religião judaica foram assimilados na concepção (formação) de outras religiões como o ............................. e o ..........................

Fenícios

15 . Atualmente a Fenícia corresponde ao ................. e a parte da ...................

16. Explique por que o fenícios dedicaram-se ao comércio marítimo?

17 . O legado dos fenícios para o mundo atual foi a invenção do ......................

18 . Diferente dos egípcios que eram governados pela administração e controle do faraó, a Fenícia era formada por ..................... ....................... isto é, cada uma tinha um .................... ......................., comandado por um ...........

19 . Cite exemplos dos produtos comercializados pelos fenícios.

20 . Explique por que os fenícios criaram o alfabeto.

Persas

21 . Identifique os povos que os persas dominaram.

22 . Os povos indo-europeus invadiram e conquistaram o planalto do ...................... . Entre eles destacaram-se os .......... e os ..............

23 . Como a Batalha de Maratona marcou a história dos persas? Explique.

24 . O vasto império foi dividido em províncias, chamadas ....................

25 . Quem eram os “olhos e ouvidos do rei”? O que eles faziam?

26 . Identifique as cidades que serviram de capital para os persas.

27 . Buscando manter a unidade do império, os persas aperfeiçoaram os ........................ e as ..................... Como exemplo destes aperfeiçoamentos, podemos citar as ................... e os ..................

28 . Zoroastro pregava a existência de uma incessante luta entre o .................................... e o ......................... afirmando que somente no dia do ............... .................., quando todos os homens seriam julgados por suas ações, o .............. venceria o ...........

29 . Explique o que é livre-arbítrio.

30 . Identifique alguns princípios religiosos e morais do zoroatrismo encontrados em outras religiões.

teste: olho mágico


terça-feira, 15 de junho de 2010

2a. Olimpíada de História do Brasil

2ª. Olimpíada Nacional em História do BrasilInscrições no período de 1 de junho a 6 agosto Forme sua equipe de três integrantes dos 8º. e/ou 9º. anos e/ou Ensino Médio e participe!
Informações com prof. Edvaldo ou http://www.mc.unicamp.br/

A equipe do Colégio Sant’Anna composta pelas estudantes
Sarah D. C. De Souza, Marcella Wiffler Stefanini e Beatriz Mandelli Martins,
orientada pelo professor Edvaldo Lopes, participou em 2010 da 1ª Olimpíada Nacional em História do Brasil e conquistou a medalha de prata.

sexta-feira, 11 de junho de 2010

Atividades para 9 ano EF (parte I)

Para refletir e responder:
1. Muitos filmes do cinema e da tevê tratam como heróis soldados que passam o tempo inteiro matando e destruindo. Nós assistimos a esses filmes desde crianças. Será que eles, sem que percebamos, nos acostumam à guerra? Será que eles nos "ensinam" a aceitar a guerra e a violência, e até nos levam a gostar delas?
2. Quem vai para o campo de batalha sabe que tem uma enorme possibilidade de morrer. O risco é enorme. No entanto, muitas pessoas engajam-se alegremente na guerra. Por que as pessoas aceitam lutar numa guerra? Por que não se recusam a matar e morrer?
3. "(...) imperialismo é hoje um termo desmoralizado, sendo-lhe atribuído sempre um sentido pejorativo." (AZEVEDO, António Carlos do Amaral. Dicionário de nomes, termos e conceitos históricos. 2a edição, revista e ampliada. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1997, p. 230.) Nos dias atuais, ainda existe alguma ação de qualquer Estado que possa ser considerada imperialista?Justifique.

Arte – primeiras décadas do séc. XX
O cientista húngaro Géza Szamoszi é professor de Física e crítico de música erudita e de arte. No texto a seguir, ele escreve sobre as mudanças revolucionárias na ciência e nas artes do início do século XX:
"Foi no princípio do século XX que um novo tempo e um novo espaço foram inventa¬dos. (...) Investigando o velocíssimo fenômeno da propagação da luz, em 1905, Einstein criou a teoria especial da relatividade. Essa teoria tornou obsoletos [antiquados] muitos dos conceitos básicos de tempo e espaço clássicos. (...)
As artes visuais passaram por uma revolução semelhante. Pintores do início do século XX também estavam preocupados com problemas do espaço e aparência visual. Eles sentiram que as formas então aceitas de representar o espaço e as formas espaciais eram inadequadas para acomodar suas novas ideias. (...) Seu método e seu estilo tornaram-se conhecidos como 'cubistas'. (...)
Quanto ao sentido de tempo, foi também desafiado e transformado com as mudanças que se realizaram na música ocidental. Tal como na Física e na pintura, as mudanças no século XX foram radicais. (...) O lançador dessa ousada inovação [musical] foi Arnold Schoenberg e a data foi 1908. (...)
A nova estrutura mental do tempo e espaço simbólicos criou um novo mundo (...) e tornou as formas de toda arte e ciência do século XX radicalmente diferentes de qualquer coisa que tenha existido anteriormente. Ela foi a fonte de muito daquilo que veio a ser chamado de 'modernismo' pelos historiadores culturais." (SZAMOSZI, Géza. Tempo & espaço. As dimensões gêmeas. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Editor, 1988, pp. 14-17.)
A partir do que é apresentado pelo autor do texto acima, procure responder:
1. Existe alguma relação entre o desenvolvimento das artes e da ciência no começo do século XX?
2. Que mudança importante em comum aconteceu na Física e nas artes por volta de 1905-1908?
3. Qual era a preocupação dos pintores cubistas?
4. Em qual das artes houve uma transformação radical do sentido de tempo?
Atividades para refletir e responder
1. As pessoas que viveram as duas primeiras décadas do século XX sentiram grandes transformações no mundo no modo de entender a realidade. Cite duas grandes mudanças históricas que ocorreram nesse período.
2. Leia esta frase: "O artista não deve se importar com a sociedade em que vive. Porque a arte é uma coisa pura, que nada tem a ver com o mundo, com a política ou com o gosto das pessoas". Esse tipo de pensamento representa bem o ideal dos artistas modernistas
3 . Existem pessoas que gostam de arte, mas detestam estudar ciências. Também existem os que adoram matérias científicas, como Matemática e Biologia, e não ligam para nenhuma arte. Leonardo da Vinci, o famoso gênio do Renascimento italiano, era grande pintor, engenheiro e cientista. Einstein revolucionou a Física, mas também gostava de tocar violino. O físico Heisenberg amava o jogo de xadrez, mistura de lógica, arte e combate. A partir disso, você pode debater: a criação artística tem alguma coisa a ver com a criação científica? Uma mente muito racional é incapaz de apreciar a beleza? Uma pessoa artística e sensível é capaz de compreender o raciocínio científico?
4 . As artes, a literatura, o teatro e o cinema podem ajudar a transformar a sociedade em que vivemos? Apresente argumentos para justificar sua opinião.
5 . As pessoas de hoje apreciam as artes? O que a maioria considera mais agradável: ir ao clube, bater papo numa praça ou visitar uma exposição de pinturas no museu? É importante a pessoa se interessar pela arte? Ou não? O desinteresse pelas artes traz alguma consequência para o indivíduo ou para a sociedade?
6 . É correto que o governo brasileiro gaste dinheiro conservando museus e promovendo exposições de arte enquanto existem tantos problemas sociais? A fome de arte e de beleza é tão importante quanto a fome de comida? Ou não tem praticamente importância nenhuma?

quarta-feira, 9 de junho de 2010

TRABALHO COPA DO MUNDO

“o futebol é uma divertida e emocionada busca do controle de uma esfera numa arena meio religiosa e em comunhão viva com a torcida. Em todas as culturas, a esfera é um símbolo da perfeição.” poeta alemão Rainer Maria Rilke

Produção de cartaz ou vídeo sobre a Copa do mundo; temáticas:

I - Demonstrar a importância da técnica para vitória / analisar atuação da Coréia do Norte no jogo contra Portugal na copa de 1966
II - Apresentar situações inusitadas na participação dos países na história das Copas.
III - Apontar países que se enfrentarão na Copa de 2010 e compartilham o mesmo contexto histórico como uma guerra ou integrantes do colonialismo / utilizar tabela da copa de 2010
IV - Comparar situação econômica (IDH, mortalidade infantil, índice de desemprego, analfabetismo e outros) discrepante entre países que se enfrentarão na Copa de 2010 / utilizar tabela da copa de 2010
V - Analisar os efeitos da copa na economia dos países participantes e no país sede dos jogos.
VI - Pesquisar a origem do Tsu-chu na China e do Kemari no Japão.
VII - Pesquisar a origem do Epyskiros na Grécia Antiga e Harpastum na Roma Antiga.
VIII - Pesquisar o futebol dos antigos maias que viviam no sul do atual México.
IX - Pesquisar o futebol na Inglaterra desde o século XII.

Sugestões de sites para pesquisa: http://copadomundo.uol.com.br/
http://www.suapesquisa.com/futebol/
http://www.campeoesdofutebol.com.br/hist_futebolmundial.html
http://www.futebolnarede.com/espec/hist.php
http://www.historiadomundo.com.br/curiosidades/historia-do-futebol.htm

quarta-feira, 2 de junho de 2010

Gabarito para atividades Iluminismo x Antigo Regime

Este gabarito é apenas uma sugestão para suas respostas. Este gabarito é um instrumento para orientá-lo(a) na correção das atividades. Valorize suas ideias e argumentos, portanto verifique se o conceito corrigido está adequado com o gabarito. Se ocorrer dúvida, mande um recado prof.ed.historia@gmail.com

Bom trabalho!



1 . Explique a afirmação: “Voltaire, inimigo encarniçado do cristianismo, é um deísta convicto”

Voltaire é visto como um deísta a partir do momento em que admite a existência de um Deus criador, mas questiona a necessidade das religiões (a razão por si só já é uma via capaz de nos assegurar da existência de Deus, o qual se revela através da ciência e das leis da natureza).



2 . Montesquieu concorda com o absolutismo monárquico? Justifique.

Não, Montesquieu não concorda com o Absolutismo Monárquico, uma vez que, busca um justo equilíbrio entre a autoridade do poder e a liberdade do cidadão. É preciso que “o poder detenha o poder” para que não haja abusos. Por isso a separação dos três poderes (legislativo, executivo e judiciário).

3 . Qual é a verdadeira lei da humanidade para Montesquieu?

A verdadeira Lei da Humanidade para Montesquieu é o uso da “razão humana enquanto governa todos os povos da terra”.

5 . O que foi o Antigo Regime?

O Antigo Regime pode ser entendido como um conjunto de práticas (econômicas, políticas, sociais e culturais) criticado pelos iluministas que propuseram projetos para uma nova sociedade.

ATENÇÃO: no primeiro site que indiquei para pesquisa o Antigo Regime é apontado como um sistema de governo, entretanto, no 2º. Site e na aula contempla a opção apresentada por mim.

6. Dê características do Antigo Regime

a) Política: Monarquias Absolutistas (poder absoluto dos reis).

b) Economia: Coexistência de relações feudais e relações capitalistas, ora em harmonia, ora em conflitos.

c) Sociedade: Divisão da sociedade em estamentos, onde se distinguiam ordens privilegiadas pelo nascimento e camadas desfavoráveis.

d) Cultura: Intolerância religiosa e filosófica. O Estado e a Igreja intervinham na vida das pessoas, não permitindo a liberdade de religião ou convicção filosófica e política. E/ou controle sobre a produção científica.

7 . Por que a burguesia ficou contra o Antigo Regime?

A burguesia ficou contra, pois o Antigo Regime privilegiava os nobres e o alto clero em detrimento da ordem dos camponeses e da burguesia, os quais ficavam encarregados de pagar todos os impostos. Além disso, para expandir as atividades capitalistas era preciso dar liberdade e poder à burguesia, o que não ocorria com a existência das Monarquias Absolutistas.

8 . O que propunham os filósofos iluministas nas áreas

a) Política: Combate ao Absolutismo Monárquico, o qual privilegiava a nobreza e abusava do poder. E/ou propor democracia ou sistema republicano.

b) Economia: Fim do Mercantilismo e da intervenção do Estado na economia.E/ou liberdade para comércio.

c) Sociedade: Igualdade entre todos os cidadãos.

d) Cultura: Liberdade religiosa e filosófica, uso contínuo da razão e busca pelo avanço científico e tecnológico.

9 . Explique como o iluminismo favoreceu o desenvolvimento científico.

O Iluminismo favoreceu o desenvolvimento científico a partir do momento em que pregava o uso contínuo da razão como forma de ver o mundo. Além disso, a burguesia desejava o avanço das ciências e das técnicas, que favoreciam os transportes, as comunicações, a medicina, etc.

10 . Hoje os casos de maus tratos às crianças e desrespeito aos direitos humanos são repudiados pela população e considerados crimes pela Constituição Brasileira atual inspirada nos Direitos Universais do Homem e do Cidadão. No Antigo Regime havia proteção aos direitos humanos? Comente.

Não, no Antigo Regime não havia proteção aos direitos humanos. Não havia constituição ou qualquer código de defesa que protegesse o cidadão. O rei, através de ministros e assessores, baixava leis e organizava a justiça a seu prazer. Além disso, a liberdade não era assegurada a todos, coexistindo a escravidão.

Gabarito atividades 8 ano

Este gabarito é apenas uma sugestão para suas respostas. Este gabarito é um instrumento para orientá-lo(a) na correção das atividades. Valorize suas ideias e argumentos, portanto verifique se o conceito corrigido está adequado com o gabarito. Se ocorrer dúvida, mande um recado prof.ed.historia@gmail.com

Bom trabalho!


Apostila 1 – pág. 67 a 71


1 - Faça uma lista das mercadorias que eram trazidas de fora de Minas Gerais para abastecer a capitania. Ao lado de cada item, aponte sua origem.
Gado: Nordeste e Sul; Açúcar, roupas, utensílios domésticos e outros: transportados em mulas, dos portos do Rio de Janeiro e de Salvador.

2 Liste os produtos que eram levados para as minas de Mato Grosso e Goiás e aponte a sua procedência.
Sal, farinha, tecidos e artigos de vestuário. Eram levados pelas monções que partiam de São Paulo.

3 Você viu que a sociedade mineradora era essencialmente urbana. Nas Minas Gerais do século XVIII, as pessoas viviam em cidades, onde se dividiam em grupos muito diferentes quanto à sua riqueza. Sobre essa sociedade, responda:

a) Quais indivíduos formavam a base dessa hierarquia social? Eram muitos?
Os escravos de origem africana estavam na base dessa sociedade e eram o maior grupo dessa sociedade, chegando a constituir mais da metade da população em alguns períodos.

b) Quais eram as ocupações dos indivíduos que compunham as camadas médias dessa população?
Roceiros, alfaiates, artistas, profissionais liberais (lembrar médicos, advogados, escritores), sapateiros, faiscadores.

c) Quais eram os indivíduos que formavam os grupos mais ricos dessa sociedade?
Havia os que lidavam diretamente com a atividade mineradora, sendo donos das lavras de ouro ou contratadores de diamantes. Havia os altos funcionários do governo, os grandes comerciantes, responsáveis pelo abastecimento da região, e, ainda, aqueles que tinham adquirido, por contrato com a Coroa, o direito de arrecadar impostos.

Compreenda
1 A rede de comércio que se criou por causa da atividade mineradora na região das Minas Gerais trouxe muitas mudanças para a América portuguesa. Quais foram essas mudanças?
A integração de muitas partes do território colonial, que até então não se comunicavam. Além disso, aumentou a circulação de moedas na colônia, onde antes elas existiam em pequena quantidade.

2 Retomando o que você já estudou em outros momentos, preencha o quadro abaixo, que trata de três regiões distintas do Brasil colonial.



Litoral nordestino São Paulo Minas Gerais
Atividade econômica principal

Mão-de-obra predominante

Rural ou urbana

Presença de mercado interno
Produção de açúcar

Escravos africanos

Rural

Muito pequena
Produção de farinha, trigo, milho, algodão
Escravos indígenas

Rural

Pequena; os paulistas andavam por várias regiões da colônia

Extração de ouro e diamantes
Escravos africanos

Urbana

Mercado interno desenvolvido





3 Leia o texto para entender melhor a transferência da capital do Brasil para o Rio de Janeiro, em 1763.

Uma boa parte do território onde hoje está o Brasil pertenceu a Portu¬gal entre 1500 e 1822. Durante mais de trezentos anos, portanto, o Brasil fez parte do Império português, que tinha domínios em várias partes do mundo, como na África e na Ásia. Nesse longo período em que fomos colônia, mudou várias vezes a forma como Portugal administrava esse imenso território.
Nos anos de 1530, quando o rei de Portugal era D.João III, que reinou entre 1521 e 1557, a Coroa criou as capitanias hereditárias, dividindo a costa do Atlântico da América do Sul em faixas de terra. Cada uma das capitanias foi destinada a um homem, que se comprometera a colonizá-la de acordo com as diretrizes da Coroa.
Passadas duas décadas, no entanto, no final da década de 1540, o go¬verno metropolitano percebeu que quase todas as capitanias hereditárias não tinham dado certo. Um dos acontecimentos mais graves que mostra¬ram o fracasso das capitanias foi o assassinato do capitão-donatário da Bahia, Francisco Pereira Coutinho, que, naqueles anos, foi morto e comi¬do pelos tupinambás.
Diante disso, o mesmo D. João III criou aqui na América portugue¬sa um órgão de administração mais centralizador: o Governo Geral. Em março de 1549, Tomé de Souza chegou à Bahia para ser o primeiro governador-geral do Brasil e fundou a cidade de Salvador, que passou a ser a sede do Governo Geral até 1763, quando, então, a capital foi transferida para o Rio de Janeiro.


De acordo com o texto:
a) O Governo Geral foi o órgão do governo metropolitano português criado para a administração da colônia desde a época do descobrimento, existindo antes mesmo das capitanias hereditárias.
b) Antes da implantação do Governo Geral na Bahia, a Coroa havia tentado cuidar dos domínios na América por meio das capitanias hereditárias.
c) Os domínios da América eram os únicos domínios coloniais portugueses.
Xd) O Governo Geral foi criado primeiramente na Bahia, em Salvador, e posteriormente foi transferido para o Rio de Janeiro.
e) As capitanias hereditárias fracassaram de tal forma no Brasil que foram mantidas apenas no Rio de Janeiro

Amplie seus conhecimentos
Um dos traços mais marcantes da escravidão negra no Brasil foi o grande nú¬mero de alforrias. Era maior que o registrado em outras sociedades que também escravizavam os africanos e seus descendentes, como na América do Norte e no Caribe. Os proprietários de escravos do Brasil alforriavam os seus cativos, ou seja, libertavam os seus escravos, que se tornavam "forros" ou "libertos".
Leia os quatro parágrafos do texto seguinte, que trata do fenômeno das alforrias em Minas Gerais no século XVIII.
O tráfico de escravos foi maior e mais intenso (do que para os engenhos de açúcar da Bahia) para as regiões do ouro, gerando, em 1749, uma popula¬ção de cerca de 90 mil escravos. Entre 1736 e 1744, época correspondente ao apogeu da exploração do ouro, o tráfico registrava de 4 a 8 mil pessoas por ano. Fundamentalmente, eram escravos homens que falavam línguas e dialetos diferentes, aglomerados e em torno das datas mais produtivas, che¬gando a configurar-se a proporção de cerca de 30 negros para um branco. (...) A população branca que chegava continuamente de Portugal era bem menor. A tal ponto que, em 1776, os escravos em Minas constituíam mais de 77% do conjunto da população mineradora.
1 A súbita diminuição da produção do ouro, após 1775, provocou uma queda brusca no número de entrada de escravos oriundos do tráfico. A partir desse momento, houve uma disseminação dos escravos já existentes para atividades ligadas à diversificação da economia de abastecimento interno em Minas, dan¬do origem a uma crise de liquidez entre os que possuíam escravos: quando as datas exploradas deixavam de dar rendimentos imediatos, ficava caro demais para os proprietários arcar com os custos de manutenção dos seus 15 a 30 escravos. Dessa situação precoce de decadência da mineração do ouro, surgiu uma população grande de forros que já perfaziam, por volta de 1786, cerca de 41% da população escrava e 34% do conjunto da população de Minas.
3 Como anteriormente ocorrera na Bahia (nas crises do preço do açúcar), o fenômeno das alforrias em Minas aconteceu entre uma minoria população escrava: as mulheres. Em Minas, 3 desproporção entre o número de homens e de mulheres, variando conforme a densidade em torno das lavras, chegou ao ponto de, em 1738, opor uma maioria de 1.800 homens para 100 mulheres.
4 Ora, justamente por causa da pequena proporção de mulheres escravas a porcentagem de forros na população aumentou drasticamente em poucos anos, a ponto de chegar a redefinir o perfil do povoamento mineiro. Na retaguarda do povoamento, nas vilas decadentes, permanecia uma população majoritariamente feminina, sobrevivendo de uma pequena economia de abastecimento local de gêneros de primeira necessidade.

DIAS, Maria Odila Leite da Silva. Forros e brancos pobres na sociedade colonial do Brasil, 1675-1835. História General de América Latina. Unesco. v. 3, cap. 14. (Texto adaptado.)

1 Esse texto tem quatro parágrafos. Aponte a ideia principal de cada um deles.
1o. parágrafo População de Minas Gerais era composta de uma grande quantidade de escravos.
2° Parágrafo* Houve um aumento de alforrias provocado pela escassez de ouro.
3a parágrafo- As alforrias ocorreram principalmente entre as poucas escravas.
4- Parágrafo* O grande número de alforrias de escravas gerou algumas consequências, como a redefinição do perfil do povoamento mineiro.

2 De acordo com o texto, marque as afirmações verdadeiras:
X a) O tráfico levou muitos escravos para a região das minas de ouro. Nos períodos de grande produção de ouro, entraram de 4 a 8 mil escravos na região.
b) Entre os escravos trazidos pelo tráfico, a proporção era de 30 homens para uma mulher.
X c) A maior parte dos escravos trazida pelo tráfico era composta de homens.
X d)) A quantidade de escravos que chegavam a Minas Gerais era tão grande que, em algumas localidades, a proporção entre brancos e negros chegava a 30 negros para 1 branco.
X e) Havia tantos escravos em Minas que, na década de 1770, o seu número atingiu mais de 70% do conjunto da população.
f) Havia muito mais escravas do que escravos em Minas Gerais.
X g) Havia mais escravos do que forros em Minas Gerais.
h) Como havia muito poucas mulheres escravizadas, quase não houve al¬forrias para elas.
X i) Houve tantas alforrias em Minas Gerais que, na década de 1780, os for¬ros chegaram a mais de um terço do total da população.
X J) 0 maior número de alforrias ocorreu entre as escravas e não entre os homens escravizados.
k) As escravas eram alforriadas porque em tempos de crise ficava muito caro mantê-las.

3 Reescreva as falsas afirmações da questão acima, tornando-as verdadeiras de acordo com o texto.
b) No apogeu da exploração do ouro, a proporção entre negros e brancos era de 30 para 1.
d) Entre os escravos trazidos pelo tráfico, a proporção era de 1.800 homens para 100 mulheres.
f) Havia muito mais escravos do que escravas em Minas Gerais. h) Havia poucas mulheres escravizadas, houve muitas alforrias entre elas.

4 De acordo com o texto, o grande número de alforrias de escravas teve consequências no perfil da população de Minas Gerais. Sublinhe no texto quais foram essas consequências e o que aconteceu em algumas localidades de Minas Gerais.


Apostila 2 – pág. 50 a 51

Atividades
1 Desde o final da Idade Média até o início da Idade Contemporânea, os europeus viveram no Antigo Regime. Apresente duas características desse período.
Absolutismo monárquico e forte hierarquização social ou sociedade estamental.

2 Qual era a atividade econômica mais importante e lucrativa durante o Antigo Regime?
a) Produção industrial.
b) Produção agrícola. X
c) Comércio.

3 Escreva uma frase com base nas informações fornecidas no capítulo sobre a sociedade estamental do Antigo Regime.
Sugestão de resposta: Durante o Antigo Regime, o lugar social de um indivíduo era dado em seu nascimento. Ao longo da vida, as chances de ascender socialmente eram muito pequenas. As pessoas eram vistas como desiguais por natureza, umas tinham privilégios e outras não tinham distinção nenhuma.

4 Entre os elementos a seguir, assinale os que não correspondem aos princípios iluministas.
a) Fim da propriedade privada. X
b) Instrução para todos.
c) Ortodoxia religiosa.
d) Absolutismo monárquico. X
e) Uso da razão.
f) Crença num mundo melhor.
g) Superioridade da fé.X
h) Controle da natureza pelo homem.
i) Divulgação do conhecimento.

5 Cite três princípios defendidos pelos pensadores iluministas para a economia.
Livre-concorrência, lei da oferta e da procura, não-intervenção do Estado, trabalho como origem da riqueza, valorização do esforço individual.

Releia este trecho do texto deste capítulo e depois responda aos itens.
"Tanto a rígida divisão social como o poder absoluto dos reis eram apresentados como expressão da vontade de Deus. Assim, toda crítica à organização social e política era considerada desobediência aos desígnios divinos."

a) Explique o significado das frases citadas.
As diferenças entre as pessoas não eram entendidas como construídas historicamente, mas como parte da ordem natural das coisas; tudo era assim e continuaria a ser, porque Deus queria. Quem ousasse contradizer a ordem das coisas no mundo iria contra a vontade de Deus, um erro considerado grave.

b) Complete o esquema mostrando o funcionamento da sociedade no An¬tigo Regime. No alto do esquema, coloque Deus, que tudo designava.

Deus
Rei
Clero
Nobreza
Povo



2 O liberalismo era o lado econômico do Iluminismo. Marque V (verdadeiro) ou F (falso) para as seguintes afirmações sobre o liberalismo econômico.
(F) Os liberais eram contrários ao mercantilismo porque pretendiam de¬senvolvimento da agricultura e não do comércio.
(V) Os pensadores liberais defendiam que o Estado não deveria intervir na economia.
(F) Para o liberalismo o mercado, para ser forte, precisa de proteção do Estado.
(F) Os liberais acreditam que o Estado deve intervir na economia para as¬segurar o enriquecimento nacional.
(F) Para o liberalismo, a livre-concorrência é prejudicial ao desenvolvimen¬to econômico.

domingo, 30 de maio de 2010

gabarito para correção de atividades 9 ano

Caros(as) alunos(as)

Este gabarito é apenas uma sugestão para suas respostas. Este gabarito é um instrumento para orientá-lo(a) na correção das atividades. Valorize suas ideias e argumentos, portanto verifique se o conceito corrigido está adequado com o gabarito. Se ocorrer dúvida, mande um recado prof.ed.historia@gmail.com

Bom trabalho!

Apostila 1 – Pág. 79 a 82


1 Linha do tempo


2 Elabore uma ficha sobre a primeira Constituição republicana. Considere os seguintes itens:

Organização dos poderes. Três poderes: Executivo, Legislativo e Judiciário.

Chefe do Poder Executivo. Presidente da República.

Atribuições dos estados. os estados adquiriram uma relativa autonomia, que lhes permitia tomar algumas decisões sem consultar o governo federal. Poderiam contrair empréstimos no exterior, instituir impostos sobre as suas exportações e organizar uma força militar própria.

Sistema eleitoral. Estabeleceu-se o voto direto e universal para os cidadãos maiores de 21 anos e alfabetizados. Os mendigos e os praças não podiam votar. A Constituição não fazia menção às mulheres, o que, implicitamente, as excluía do direito ao voto. A lei também não determinava que o voto deveria ser secreto, como prevê a Constituição em vigor no Brasil de hoje.

Ensino. Determinou-se o caráter leigo do ensino ministrado nos estabelecimentos públicos.

Religião. A Igreja separou-se do Estado; em outras palavras, deixou de existir uma religião oficial no Brasil. Instituiu-se o casamento civil e a liberdade de culto para todas as crenças religiosas.



3 Faça um esquema com os elementos a seguir para mostrar o funcionamento da política dos governadores.

governo central
comissao verificadora de poderes
camara federal
degola

oligarquia agraria estadual
coroneis
favores
eleitor

4 – D




5 Quem era a figura do coronel?

Coronel era um chefe político nas regiões rurais, nas primeiras décadas da República; tinha muita influência na área em que era proprietário de vastas extensões de terra.



6 O que era o voto de cabresto?

Era o controle que o coronel exercia sobre o voto do eleitor de sua região. O controle era rigoroso; o coronel dirigia o eleitor como se comandasse um animal.



7 Explique por que a força dos coronéis era maior nas áreas rurais.

Na zona rural, a população vivia em situação mais precária, mais distante do Estado e sem notícias do mundo. Assim, era grande sua dependência dos favores do coronel para melhorar suas condições de vida.



8 Explique o que você entendeu da frase: "Quando as 'boas obras' não eram

suficientes, o coronel recorria à força dos capangas".

Se, mesmo após receber as coisas que o coronel tivesse lhe dado, o eleitor insistisse em votar contra a orientação do coronel, então este faria uso da força, isto é, pressionaria o eleitor com os homens armados a seu serviço.



9 Você compreendeu melhor como se dava o poder dos coronéis sobre as po¬

pulações das áreas rurais do Brasil nas primeiras décadas da República. Tam¬

bém viu como as oligarquias agrárias de cada Estado estavam articuladas.

Certamente, agora você pode explicar por que o povoado de Canudos inco¬modava tanto as autoridades governamentais e os próprios coronéis. Es¬creva um ou dois parágrafos sobre isso.

O povoado de Canudos estava organizado segundo regras muito diferentes das que existiam no território nacional. Ali, a produção e distribuição de alimentos era feita de maneira comunitária; assim, os que moravam no povoado de Canudos não precisavam dos favores de nenhum coronel e não viviam segundo as leis do Estado brasileiro.



Amplie seu conhecimento

O texto seguinte foi publicado no jornal Folha de S.Paulo em 8 de fevereiro de 2007. Leia-o atentamente e responda as questões 1, 2 e 3.

Compra de votos aumentou no Brasil, aponta pesquisa

A compra de votos quase triplicou no ano passado, em 2006, em relação à eleição de 2002, segundo levantamento feito pelo Ibope encomendado pela ONG Transparência Brasil e pela Unacon (União Nacional dos Analistas e Téc¬nicos de Finanças e Controle).

De acordo com a pesquisa, divulgada ontem [7 de fevereiro de 2007], de 3% do total de eleitores que disseram ter sido alvo de tentativa de compra de votos em 2002, o percentual subiu nas eleições passadas para 8% (cerca de 8,3 milhões de pessoas).

"O problema muito provavelmente está influenciando o resultado das elei¬ções brasileiras", disse o diretor-executivo da Transparência Brasil, Cláudio Weber Abramo.

O Ibope ouviu 2002 pessoas em 142 municípios. A margem de erro é de dois pontos percentuais. Além de dinheiro, a pesquisa considera como moeda de troca objetos, como calçados e roupas, até "favores" oferecidos por funcioná¬rios públicos. (...)

A região Sul do país apresentou maior percentual de eleitores que admiti¬ram ter sido procurados para vender votos, com 12%. No Nordeste foram 10%, no Sudeste 6% e no Norte e Centro-Oeste, 5%. No Paraná, 22% dos eleitores se disseram alvos de tentativa de compra de votos.

Folha de S.Paulo, 8 fev. 2007.













Marque V ou F, de acordo com o texto e, depois, assinale a sequência correia.

F) Nas eleições de 2006 a compra de votos dobrou em relação à eleição anterior, de 2002.

V) Nas eleições de 2006 a compra de votos subiu para 8% do total de eleitores.

V) A compra de votos foi maior na região Sul.

F) Só foram considerados como compra de votos os casos em que se ofe¬receu dinheiro ao eleitor.

F) 0 responsável pela pesquisa acredita que, mesmo sendo muitos os vo¬tos comprados, os resultados das eleições não chegam a ser alterados.

a) F, F, V, F, V d) F, V, V, V, F

b) V, V, V, F, F e) V, V, V, V, F

c) F, V, V, F, F



2 Discuta com os colegas quais são, no entender de vocês, as causas de tan¬tas tentativas de compra de voto.

Resposta pessoal.



3 Com seus colegas elabore uma lista de medidas que deveriam ser tomadas para evitar a ocorrência de compra de votos na próxima eleição. Listem entre 3 e 5 medidas.

Sugestão de resposta: Leis punitivas; mais fiscalização no dia da eleição; a médio e longo prazo: campanhas de esclarecimento para o eleitor na época da eleição e melhoria das condições de vida da população, de modo a torná-la menos

dependente dos favores dos candidatos.





Apostila 2 – Pág. 14 a 16
1 Quais significados podemos atribuir à expressão Belle Époque?
Belle Époque foi uma expressão criada depois da Primeira Guerra Mundial para designar o período anterior, caracterizado pelo otimismo e pela certeza da estabilidade e da paz duradouras. Um conjunto de tendências inovadoras nas artes, as chamadas vanguardas (do francês avant-garde: o que vem na frente), pretendia antecipar a arte do futuro, lutar por transformações e promover atitudes que rompiam com as tradições do passado.


2 Complete o quadro com os principais conflitos imperialistas que precederam a Primeira Guerra Mundial.
Países em conflito   Principais conflitos

Alemanha - Inglaterra    Construção da estrada de ferro Berlim-Bagdá, para obter petróleo do golfo Pérsico.

Alemanha - França      Humilhação francesa após a guerra franco-prussiana, além da anexação dos territórios da Alsácia e da Lorena pelos alemães.

Alemanha - França Disputa pelo território do Marrocos.

Alemanha - Rússia      Interesses alemães por regiões dominadas pelo Império Turco-Otomano; a estrada de ferro Berlim-Bagdá passaria pelos estreitos de Bósforo e Dardanelos, região que interessava à Rússia por lhe permitir obter uma saída do mar Negro para o Mediterrâneo.

3 Produza uma linha do tempo sobre a política de alianças.

1882: Tríplice Aliança = Itália, Alemanha e Império Austro-Húngaro.

1894: Pacto militar entre França e Rússia.

1904: Entente Cordiale (França e Inglaterra)

1907: Tríplice Entente (França, Inglaterra e Rússia)

1 Por que podemos dizer que a paz e a estabilidade da Belle Époque eram apenas aparentes?
Porque, entre os anos de 1871 e 1914, a corrida armamentista (paz armada), o serviço militar obrigatório, os nacionalismos, o darwinismo social e a competição entre as nações em busca de mercados e capitais geraram desavenças que poderiam deflagrar guerras.

2 Por que a política de alianças era necessária em fins do século XIX e início do século XX?
A política de alianças foi necessária porque o clima político-militar europeu parecia um barril de pólvora prestes a explodir.

3 Que fato pode ser considerado o estopim da Primeira Guerra Mundial?
O assassinato em 28 de junho de 1914, do arquiduque Francisco Ferdinando e sua esposa quando eles visitavam Sarajevo, capital da Bósnia.





1 Que tema é abordado pelo mapa?


O mapa trata das divisões linguísticas na Áustria-Hungria e nos Bálcãs.

2 Segundo o mapa, quantos dialetos existem naquela região?

Segundo o mapa, existem 19 dialetos da região.

3 Relacione as fronteiras territoriais da Áustria-Hungria e dos Bálcãs com as divisões linguísticas da região.

As fronteiras territoriais das regiões não coincidem com as divisões linguísticas.

4 Pensando no dialeto como um dos principais elementos que constituem a cultura de um povo, relacione sua resposta anterior com a questão da na¬cionalidade na região dos Bálcãs antes da Primeira Guerra Mundial.

O dialeto é um dos traços mais fortes da cultura de um povo, o que significa que, na região dos Bálcãs, muitos povos que faziam parte de um mesmo limite territorial não se identificavam culturalmente. Isso gerou uma série de conflitos, denominados nacionalistas, nos quais diversas populações buscavam sua independência política, económica e social.


O texto a seguir é parte do livro Nada de novo no front, de Erich Maria Remarque, sobrevivente da Primeira Guerra Mundial. Leia com atenção e responda às questões propostas.

"Os professores deveriam ter sido para nós os intermediários, os guias para o mun¬do da maturidade, para o mundo do trabalho, do dever, da cultura e do progresso, e para o futuro. Às vezes, zombávamos deles e lhes pregávamos peças, mas, no fundo, acreditávamos neles. À ideia de autoridade da qual eram portadores, jun-tou-se em nossos pensamentos uma melhor compreensão e uma sabedoria mais humana. Mas o primeiro morto que vimos destruiu essa convicção. Tivemos de reconhecer que a nossa geração era mais honesta do que a deles; só nos venciam no palavrorio e na habilidade. O primeiro bombardeio nos mostrou nosso erro, e debaixo dele ruiu toda a concepção do mundo que nos haviam ensinado. Enquanto eles continuavam a escrever e a falar, víamos os hospitais e os mori¬bundos; enquanto proclamavam que servir o Estado era o mais importante, já sabíamos que o pavor de morrer é mais forte. Nem por isso nos amotinamos, nem nos tornamos desertores, nem mesmo covardes - todas essas expressões vinham-lhes com tanta facilidade. Amávamos nossa pátria tanto quanto eles e avançávamos corajosamente em cada ataque, mas, agora, já sabíamos distin¬guir, aprendemos repentinamente a ver, e, do mundo que haviam arquitetado, víamos que nada sobrevivera. De súbito, ficamos terrivelmente sós - e nós tínhamos de nos livrar de toda essa embrulhada."

REMARQUE, Erich Maria. Nada de novo no front. São Paulo: Abril Cultural, 1981. p. 16.

1 Segundo o texto, qual é a função dos professores?
Segundo o texto, os professores deveriam ser os "intermediários, os guias para o mundo da maturidade, para o mundo do trabalho, do dever, da cultura e do progresso, e para o futuro".

2 De acordo com o texto, em que os professores "falharam"?
O texto coloca os professores como incentivadores da participação dos jovens na guerra por amor à pátria. O autor, porém, questiona esse sentimento, pois, ao ver tantos mortos e feridos, percebe que o amor à vida é maior que o amor a seu país.

3 Relacione a posição dos professores daquele período com o nacionalismo.
Naquele período, os professores, e a própria escola, reproduziam a política nacionalista, que incentivava e doutrinava as crianças e os jovens a lutarem por sua pátria.

sexta-feira, 14 de maio de 2010

Roteiro para investigação: Iluminismo x Antigo Regime


Acesse o site para desenvolver as atividades http://mundodosfilosofos.com.br/iluminismo.htm

1 . Explique a afirmação: “Voltaire, inimigo encarniçado do cristianismo, é um deísta convicto”
2 . Montesquieu concorda com o absolutismo monárquico? Justifique.
3 . Qual é a verdadeira lei da humanidade para Montesquieu?

Acesse os sites para desenvolver as atividades

5 . O que foi o Antigo Regime?

6. Dê características do Antigo Regime
a) política
b) economia
c) sociedade
d) cultura

7 . Por que a burguesia ficou contra o Antigo Regime?

8 . O que propunham os filósofos iluministas nas áreas
a) política
b) economia
c) sociedade
d) cultura

9 . Explique como o iluminismo favoreceu o desenvolvimento científico.

10 . Hoje os casos de maus tratos às crianças e desrespeito aos direitos humanos são repudiados pela população e considerados crimes pela  Constituição Brasileira atual inspirada nos Direitos Universais do Homem e do Cidadão. No Antigo Regime havia proteção aos direitos humanos? Comente.


Roteiro para investigação: Primeira Guerra Mundial


1 . Como o “mão negra” se relaciona com o início da Guerra?


2 . O que significa pan-eslavismo? E pan-germanismo?

3 . A “Paz Armada” é uma contradição.

4 . Por que os soldados tinham medo da nuvem da morte?

5 . Qual a relação entre a decepção do brasileiro Santos Dumont e a 1ª. Guerra Mundial?

6 . Neste blog há imagens relacionadas a 1ª. Guerra Mundial. As imagens estão sem legendas. Você é capaz de identificar o contexto de cada uma delas?

7 . O Tratado de Versalhes não contentou a todos: guerra a vista!

8 . Os países europeus com suas fronteiras antes da 1 Guerra Mundial. (utilize mapa do blog do professor)

9 . Os blocos antagonistas da 1 Guerra Mundial.

10 . Revanchismo alemão.

Imagens da 1 Guerra Mundial


sexta-feira, 23 de abril de 2010

Entrevista ou relato sobre imigração para 9 ano SantAnna

Com base nas informações sobre imigração da ficha-resumo fornecida pelo professor e do cap. 4 (pág. 83) apostila 1 elaborar um roteiro de perguntas para uma entrevista sobre imigração ou orientações para o relato; pesquisar entre os familiares um(a) idoso(a) imigrante no Brasil ou que tenha lembranças de seus familiares imigrantes; organizar um encontro para entrevista ou relato; gravar o áudio ou vídeo da entrevista ou relato; registrar a entrevista com uma foto do(a) entrevistador(a) com o(a) entrevistado(a); transcrever o áudio da entrevista utilizando o linguajar do(a) entrevistado(a), apontar as pausas, emoções e outros; publicar a entrevista ou relato e a(s) foto(s) em seu blog até o dia 19 de maio.

quinta-feira, 15 de abril de 2010

critérios para avaliar vídeos - 9 anos - Sant´Anna

Avaliar o vídeo postado por 3 colegas posteriores ao seu número da chamada desde que não esteja na sua equipe:
-Verifique a presença dos temas abordados no cap. 5 ( I . crescimento populacional e a formação de um imenso mercado – II . arte, cinema e o lazer – III . alimentação) para cada item abordado do cap. 5 pontue um ponto (1,0);
- Texto coerente um ponto e meio (1,5);
- Imagens relacionadas ao tema um ponto e meio (1,5);
- Introdução do vídeo um ponto (1,0);
- Trilha sonora MEIO ponto (0,5);
- Informações do grupo – nomes, série e outros – meio ponto (0,5);
- Fontes meio ponto(0,5);
- Criatividade um ponto e meio (1,5);
- desconte um décimo por erros  ortográficos (0,1).

Faça comentários com a nota e indique se o vídeo merece uma premiação, se positivo apresente uma ou mais categoria: melhor documentário, revelação, criatividade, trilha sonora, efeitos especiais, humor.

AVALIAR VÍDEOS ATÉ 23/ABR (3ª.F.)

atividade interdisciplinar para 9 anos Sant`Anna

Atividade interdisciplinar (História, geografia e LP) será realizada por dupla ou trio. Pesquisar uma matéria jornalística (escrita ou televisionada) sobre a tragédia que abalou o Rio de Janeiro. Demonstrar como o(s) texto(s) ou vídeo(s) apresenta(m) sensacionalismos ou análises simplistas (senso comum). Produzir um texto apontando análises mais contundentes sobre o assunto. Organize suas ideias com base nas análises realizadas em fevereiro nas aulas de Geografia e História sobre os problemas gerados pelo excesso de chuva e suas causas. Paute suas análises na consciência ambiental e no fato que neste ano há eleições, portanto verifique se a mídia explora a tragédia apenas como resultado de alguns governos (municipal, estadual ou federal). O texto final deve conter o nome dos dois (ou três) autores e que todas as citações (retiradas de reportagens, textos jornalísticos, etc) devem ser feitas entre aspas. Não esquecer de publicar em seu texto o link da(s) matéria(s) jornalística(s) explorada(s) em sua pesquisa. Cada integrante desse publicar o mesmo texto em seu blog até 27 de abril (3ª. feira).

sábado, 6 de março de 2010

COMO FAZER H.Q.

Muitos estudantes ao preparar uma animação simplesmente abrem o software de animação e a desenvolve de acordo com o que vem a mente, e esta não é a maneira correta de iniciar um desenho animado. É como começar a construir uma casa sem a planta ou pelo telhado.
Comic Live é uma sugestão de software com download grátis.
As etapas iniciais para o trabalho: roteiro, storyboard e personagens.
I . Roteiro - É onde descrevemos objetivamente cenas, seqüências, diálogos e indicações técnicas de nossas criações. Animar é um processo complexo, mas o trabalho pode se tornar muito mais agradável se o fizermos corretamente. O roteiro é uma etapa de grande importância, indispensável, afinal é aqui que se expõem as idéias e as organizam, e mesmo sabendo disto muitos a ignoram por considerá-la perca de tempo, coisa para perfeccionistas. Basicamente para se escrever um bom roteiro deve-se prever o que os espectadores vão pensar e com base nisto surpreender, emocionar, divertir e prender a atenção.
Se você estiver se perguntando como prever o que os espectadores vão pensar, a resposta é simples, faça-os pensar o que você arquitetou. Por exemplo, em um desenho qualquer durante uma luta entre dois personagens, um deles é morto, e o que venceu se engrandece por ser o vitorioso, mas é surpreendido quando descobre algum ferimento letal que foi causado durante o combate e morre, enquanto o outro que pensávamos estar morto estava apenas ferido e inconsciente. Este exemplo é muito visto tanto em desenhos, como filmes, seriados e outros,  usando a criatividade podemos aplicar esta idéia a muitas situações e não apenas a um luta.
Há outras formas de conquistador o espectador, como apresentar alguma situação que deva ser explicada posteriormente pode ser um bom caminho para prender a atenção de seus espectadores. É um meio simples, mas que se bem explorado pode  impressionar muito. Como por exemplo, no filme “O Júri”, que começa com algumas cenas de uma festa de aniversário e em seguida o filme nos leva a um novo quadro sem nos explicar o objetivo daquela cena, o qual nos é revelado mais a frente.
II . Storyboard - Visualizar um filme através de um roteiro é muito difícil, e por este motivo que surgiu o storyboard, que é o roteiro desenhado em quadros, semelhante aos quadrinhos, porém não possuem balões de fala. Traduzindo, “story” significa história e “board” que pode ser quadro, tábua, placa. Esta tradução justifica-se pelo fato dos artistas esboçarem o roteiro e os fixarem em uma placa com tachinhas. Os artistas substituirão os desenhos e re-editarão o storyboard conforme visualizam e os alteram para adicionar suspense, humor, etc. Um ótimo exemplo pode ser visto no bônus do DVD duplo do filme “Procurando Nemo”, onde os artistas da Pixar mostram como foi feito o processo de criação do storyboard do filme.
III . Desenvolvimento dos Personagens - Desenvolver personagens geralmente é muito divertido, e não é apenas desenhar uma figura, cada personagem tem sua forma de acordo com sua personalidade. O animador deve conhecer bem as características de seus personagens para poder construí-los usando as melhores formas. Existem vários tipos de personalidades, como por exemplo, o fortão malvado, ou fortão bonzinho,  o engraçado e a mocinha má. Exemplo de estilo: no filme “Os Incríveis” da Pixar,  um personagem do tipo brutamontes para analisarmos é o Sr. Incrível, independente do estilo do desenho, geralmente se apresentam cabeças pequenas, peito grande e quadril pequeno.

sábado, 20 de fevereiro de 2010

Como fazer mosaico histórico


mosaico histórico: De Dutra a JK

COMO FAZER UM MOSAICO HISTÓRICO?
1 . Leia o texto e  grife as ideias centrais de cada parágrafo;
2 . A partir das palavras-chave apresentadas no texto pesquise imagens para representá-las.
3 . Sugestão para pesquisar imagens: http://www.google.com/
4 . Sugestão: abra o word ou power point  e salve sua imagens.
5 . Organize as imagens para contextualizá-las de acordo com o texto.
6 . Utilize, se necessário, setas ou legendas, como no exemplo acima.
7 . Abra o paint e cole o seu mosaico; salve no formato jpg.
8 . Publique o mosaico em seu blog.


sábado, 13 de fevereiro de 2010

CARNAVAL NO BRASIL


No Escuta Essa! especial de Carnaval, a prisão do governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda; mais um capítulo da corrida ao Palácio do Planalto, com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso entrando em cena; e, a palhinha do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama. Confira os principais assuntos da política nacional e internacional nesta charge política.

Confira e acesse o link http://noticias.uol.com.br/ultnot/multi/2010/02/13/0402983960E4C13326.jhtm?tem-carnaval-na-cadeia-no-palanque-e-na-casa-branca-0402983960E4C13326


BIBLIOTECAS NA INTERNET




A disponibilização dos maiores acervos do mundo na rede
corre o risco de tornar o patrimônio público um monopólio particular
por Fernando Eichenberg, de Paris

Isolado em sua ilha, Robinson Crusoé teria leitura garantida por 30 anos com uma Bíblia de Gutenberg à disposição. Se a obra, no entanto, tivesse sido digitalizada, esse tempo seria reduzido às poucas horas de duração da bateria de seu e-book. Atire um livro do quinto andar de um prédio e, depois da queda, você o terá de volta mais ou menos inteiro. Experimente repetir a experiência com um e-book. Mais um exemplo? Hoje, é possível ler um texto impresso de 500 anos, mas quem garante que o livro eletrônico resistirá a quatro ou cinco anos de existência? As provocativas comparações acima são do escritor e pensador italiano Umberto Eco, para quem o livro é similar a roda, colher, martelo, tesoura ou óculos, que, uma vez inventados, receberam raras melhorias ao longo dos séculos.



O autor do best seller O nome da rosa não é contra as inovações tecnológicas, ao contrário, acredita que o livro eletrônico trará benefícios em diferentes domínios. Um magistrado poderá mais facilmente levar para casa as 25 mil peças de um processo digitalizadas em seu e-book, por exemplo. Será o fim das enciclopédias de 40 volumes, que necessitavam de um cômodo a mais nos lares. As crianças não mais sofrerão de escoliose por causa do peso dos manuais escolares em suas costas, pois terão Molière e a gramática em seus Kindles e similares. Mas, para Eco, nada substituirá o amor pelo objeto livro. “Eu continuo simplesmente a me perguntar se, mesmo com a tecnologia mais adaptada às exigências da leitura, será oportuno ler Guerra e paz (de Liev Tolstói) num e-book”, diz no livro de conversas com o escritor, dramaturgo e roteirista francês Jean-Claude Carrière, Não espere se livrar dos livros (editora Gasset), lançado no final do ano passado.



Para Umberto Eco, a internet não significou uma introdução na civilização das imagens, mas um retorno à era alfabética. “O computador nos reintroduziu na galáxia de Gutenberg e, a partir de agora, todo o mundo se vê obrigado a ler”, conclui. Para ler, é necessário suporte, que não pode ser exclusivamente o computador. “Passe duas horas diante de um computador lendo um romance e seus olhos se tornarão como duas bolas de tênis. Eu tenho em casa óculos Polaroid que protegem meus olhos da leitura contínua na tela”, conta. Dependente da eletricidade, o e-book tem o seu uso dificultado numa banheira e, devido a sua inflexibilidade, na leitura na cama, deitado de lado, argumenta o exigente escritor. “Talvez o livro evolua em seus componentes, talvez suas páginas não sejam mais de papel, mas ele permanecerá tal qual é”, sustenta.



Acordo com o Google

As questões surgidas com o rápido e recente avanço do livro eletrônico vieram acompanhadas de outro debate, mais polêmico e, também, político: a digitalização das bibliotecas. Na origem, está o ambicioso projeto do site de buscas Google de criar uma biblioteca virtual universal, que ganhou adeptos, mas também provocou reações adversas pelo mundo.



O receio é o de que o Google Books, que já digitalizou de 7 a 8 milhões de obras – de um objetivo inicial de 20 milhões –, se constitua como um grande monopólio do patrimônio mundial editorial. Nos Estados Unidos, depois de quatro anos de processos jurídicos e longas negociações, em novembro passado, o Google costurou um acordo com o Sindicato dos Editores Americanos (AAP) e o sindicato de autores, Authors Guild, para a exploração na internet dos milhares de obras já digitalizadas nas bibliotecas americanas. O acerto prevê 37% dos rendimentos referentes à exploração dos títulos divulgados para o site e 63% para autores e editores.







Um “registro de direitos autorais” será criado para distribuir esses dividendos. Os chamados “livros órfãos”, de detentores de direitos autorais desconhecidos, serão administrados por um organismo independente. O acordo aguarda ainda a aprovação da justiça americana, que deverá se pronunciar neste mês de fevereiro.



Na Europa, a investida do gigante americano seduziu alguns – acordos foram estabelecidos com sete bibliotecas do continente – e alertou a desconfiança de outros. Em 2008, a biblioteca municipal da cidade de Lyon, a segunda maior do país, assinou um contrato com o Google para a digitalização de 500 mil obras de domínio público. A custo zero para a biblioteca, as obras estão sendo digitalizadas em um local mantido secreto, a 50 quilômetros da cidade, num ritmo de 2 mil livros por semana. Pelo acordo, o site de buscas se reserva o direito de exploração das obras e de outros delas derivados. O contrato, assinado com cláusula de garantia de sigilo e de exclusividade por um período de 25 anos, teve o acesso liberado pela justiça francesa, que considerou ilegal uma empresa se associar em regime de segredo com uma administração pública.



Jean-Yves Mollier, historiador do livro e da leitura, professor da Universidade Versailles, autor de Para onde vai o livro (ed. La Dispute), vê nessa iniciativa uma ameaça à biblioteca como patrimônio mundial da humanidade. Segundo ele, o perigo está no fato de um site privado obter o controle de exploração das obras. “É algo escandaloso. Trata-se de uma empresa privada que deve remunerar seus acionistas, não faço algum julgamento negativo em relação a isso, mas seu objetivo final é o lucro, e não colocar à disposição do público a biblioteca universal”, diz à Revista da Cultura, em meio às estantes da biblioteca de seu apartamento, nos arredores de Paris.



Para o historiador, o Google jamais teria se lançado nessa aventura se a Biblioteca Nacional da França (BNF), inaugurada em 1998, tivesse cumprido sua meta de digitalizar 1 milhão de livros. Por razões orçamentárias, a digitalização inicial não passou de 70 mil objetos impressos. “O Google teve a inteligência de ver que lá onde o Estado fracassou, um site de buscas poderia fazer o trabalho. Mas é de responsabilidade dos Estados digitalizar seu patrimônio e disponibilizá-lo ao mundo inteiro”, defende.



Segundo ele, o acordo estabelecido nos Estados Unidos também é um erro. Os americanos, em sua opinião, deveriam seguir a proposição de Robert Darnton, historiador dos livros e diretor da Biblioteca da Universidade Harvard: o governo deveria reembolsar o Google por toda a digitalização já feita e se encarregar da administração das bibliotecas virtuais.



Os livros americanos digitalizados, que se tornariam propriedade do Estado, seriam, então, interconectados com outras bibliotecas universais, como a Gallica (BNF), a da Universidade do Québec e equivalentes em demais países. Mas, em vez de um site estatal ou interestatal, Mollier é favorável a um site de buscas por família de línguas: “A língua portuguesa não pertence ao Brasil ou aos habitantes de Macau, a um país ou a uma instituição, mas a todos aqueles que falam o português, morem eles em Paris ou em Pequim. O ideal seria criar um site de buscas lusófono, hispanófono, germanófono, arabófono, e assim por diante, e interconectá-los”. A Unesco, segundo ele, seria o agente lógico desse processo, mas tem contra si a sua lenta burocracia. “A Unesco já começou a pensar nisso. Há um projeto de biblioteca digital universal, mas, devido a sua pesada máquina administrativa, é algo que deverá levar algum tempo para avançar”, diz, pessimista.



Digitais e universais

Os europeus decidiram frear as pretensões do Google e estabelecer suas próprias regras para a criação das bibliotecas digitais, sem descartar, no entanto, uma eventual colaboração com o site americano e outros possíveis parceiros. “A digitalização de livros é uma tarefa colossal, que deve ser pilotada pelo setor público, mas para a qual o apoio do setor privado é necessário”, disse a Comissão Europeia em um comunicado. No mês passado, a comissão de sábios formada pelo Ministério da Cultura francês divulgou seu esperado relatório sobre o complexo tema. Os franceses não fecham as portas para o Google, mas querem manter o controle de seu “patrimônio escrito”.



A comissão propõe a imediata criação de uma plataforma digital público-privada de consulta de obras, na qual editores, livreiros e atores privados da internet (como Google) estariam reunidos no objetivo comum de dar acessibilidade e visibilidade ao maior número possível de livros franceses. A nova plataforma substituiria a atual biblioteca digital Gallica, que hoje conta com 145 mil obras digitalizadas. O relatório sugere também uma troca simples das cópias de arquivos já digitalizados pelo Google e os estocados pelas bibliotecas francesas.



Umberto Eco não resiste às suas provocações intelectuais e especula que mesmo a “formidável invenção” da internet poderá desaparecer no futuro. E cita o exemplo do supersônico Concorde, sumido dos céus após o acidente de Gonesse, em 2000. “A história é realmente extraordinária. Inventa-se um avião que, em vez de oito horas, leva três horas para atravessar o Atlântico. Quem poderia contestar tal progresso? Mas renuncia-se, depois da catástrofe de Gonesse, estimando-se que o Concorde custa muito caro. É uma razão séria? A bomba atômica também custa muito caro!”



Ainda na fase de engatinhar, as bibliotecas digitais universais, no entanto, deverão crescer e ter futuro próspero e duradouro. Aos 62 anos, Jean-Yves Mollier não se autoriza alguma nostalgia. Dubitativo em relação ao e-book, tem a certeza, no entanto, de que as bibliotecas de livros de papel diminuirão de tamanho: “Essas grandes bibliotecas, como as de José Mindlin, no Brasil, pertencem ao passado. Em vez de milhares ou dezenas de milhares, teremos centenas de livros de papel”.



A humanidade continuará a ler, assegura, mas dizer que será majoritariamente no papel é um equívoco. Regressão haverá, aponta, se for negligenciada a apreciação crítica dos textos na tela. A civilização da leitura não está ameaçada, mas a civilização do papel, datada, está com o tempo contado, vaticina: “Vivemos um período de passagem, de corte epistemológico. Ainda pensamos a modernidade com conceitos adaptados do passado. Nessa fase, experimentaremos alguma dificuldade. É difícil ver um universo morrer. Mas não concordo com o discurso de Cassandra. Aceitemos trocar nossos hábitos. Temos de acolher a informática com muita esperança”. ©


TEXTO EXTRAÍDO DA REVISTA DA LIVRARIA CULTURA: http://www2.livrariacultura.com.br/culturanews/rc31/index2.asp?page=materia3