Loading...

domingo, 16 de fevereiro de 2014

Síntese: Bandeiras, Pecuária, Missões e Economia Mineradora na América Portuguesa


Brasil Colônia: a expansão territorial (séculos XVII e XVIII)

O bandeirantísmo: os caminhos do sertão

A origem do bandeirantismo paulista

• Causa básica: o desenraizamento ocasionado pela pobreza da população vicentina.

• Causas imediatas: o aprisionamento de escravos índios e a procura de ouro e pedras preciosas.

Ciclo das bandeiras de caça ao índio (s 1610-1650)

•O crescimento da agricultura na capitania de São Vicente e, secundariamente, a redução do fornecimento de escravos negros a certas regiões do Nordeste, levou os paulistas a organizarem bandeiras que atacaram as missões jesuíticas nos atuais Rio Grande do Sul, Paraná e Mato Grosso do Sul, aprisionando dezenas de milhares de índios.

Ciclo das bandeiras de busca ao ouro (= 1650-1720)

•Restabelecido o fornecimento de escravos negros ao Nordeste, os bandeirantes passaram a procurar ouro e pedras preciosas.

 • Entre 1693 e 1725 são descobertas as jazidas de ouro e diamantes nos atuais territórios de Minas Gerais, Mato Grosso e Goiás.

Consequências do bandeirantismo

•Incorporação à colonização de grande parte das atuais Regiões Sul, Centro-Oeste e Sudeste.

 

Brasil Colônia: a expansão territorial (séculos XVII e XVIII)

A expansão pecuarista

A expansão da pecuária sulina

• Quando os bandeirantes destruíram as missões jesuíticas do Sul, o gado dessas missões ficou disperso pela região.

• A partir de meados do século XVII, a região foi povoada por colonos, atraídos pela existência de gado e pastagens.

•Inicialmente, a exploração da pecuária sulina limitou-se à exportação de couro para a Europa.

•Com a descoberta de ouro em Minas, os criadores gaúchos passaram a vender mulas, couro e charque para os mineradores.

•Por meio dessa atividade criatória, a maior parte da atual Região Sul foi ocupada e incorporada ao Brasil.

A expansão da pecuária nordestina

•O gado foi introduzido pelos portugueses no litoral do Nordeste, como atividade complementar da produção açucareira.

•O crescimento dos rebanhos, gerando a necessidade de novas pastagens, levou o gado a avançar para o interior.

•Esse avanço, feito ao longo dos séculos XVII  e XVIII, teve como resultado a ocupação de grande parte do sertão nordestino.

• A partir do fim do século XVIII, a pecuária sertaneja, que já era pobre, entrou numa longa fase de declínio, com várias regiões criatórias regredindo a uma economia de subsistência.

 

Brasil Colônia: a expansão territorial (séculos XVII e XVIII)

A expansão oficial

  Na Amazônia e no Maranhão, a ocupação foi feita com a participação direta do governo português, sendo que a partir de 1621 os territórios do norte foram separados do Brasil, formando o Estado do Maranhão.

• Na Amazônia, expedições oficiais reconheceram a região através dos rios, montando-se depois um sistema de coleta de drogas do sertão.

•No Maranhão, durante a segunda metade do século XVIII, uma companhia estatal introduziu o cultivo de algodão.

•No extremo sul, Portugal fundou, em 1680, a Colônia do Sacramento, visando penetrar no rio da Prata.

•Ao se iniciar o segundo quartel do século XVIII, os vários movimentos de penetração para o interior haviam levado os portugueses a ocupar praticamente todo o território pertencente hoje ao Brasil, ultrapassando, e muito, o antigo limite do Tratado de Tordesilhas.

• Iniciaram-se então os contatos diplomáticos entre Portugal e Espanha, para estabelecer os limites entre suas colônias na América do Sul.

 • Foram assinados vários tratados, sendo o Tratado de Madri (1750) o mais importante.

•Esses tratados deram ao Brasil praticamente as fronteiras que possui hoje.




 
Expansão no Norte / Drogas do sertão
•Na Amazônia e no Maranhão, a ocupação foi feita com a participação direta do governo português, sendo que a partir de 1621 os territórios do norte foram separados do Brasil, formando o Estado do Maranhão.
•Na Amazônia, expedições oficiais reconheceram a região através dos rios, montando-se depois um sistema de coleta de drogas do sertão.
•No Maranhão, durante a segunda metade do século XVIII, uma companhia estatal introduziu o cultivo de algodão.
•No extremo sul, Portugal fundou, em 1680, a Colônia do Sacramento, visando penetrar no rio da Prata.
•Ao se iniciar o segundo quartel do século XVIII, os vários movimentos de penetração para o interior haviam levado os portugueses a ocupar praticamente todo o território pertencente hoje ao Brasil, ultrapassando, e muito, o antigo limite do Tratado de Tordesilhas.
•Iniciaram-se então os contatos diplomáticos entre Portugal e Espanha, para estabelecer os limites entre suas colônias na América do Sul.




Brasil Colônia: a economia mineradora (século XVIII)

O ouro de aluvião

• As jazidas brasileiras eram superficiais, de fácil exploração.

• Por isso, sua exploração não exigia capital elevado nem mão-de-obra e equipamentos especializados.

• Desse modo, praticamente qualquer pessoa podia se dedicar à mineração, o que gerou grande número de pequenos proprietários.

• Em consequência, a atividade mineradora apresentou, em comparação com a economia açucareira, uma melhor distribuição de renda e uma maior mobilidade social.

A atividade mineradora

• A exploração de ouro cresceu rapidamente até meados do século XVIII, caindo daí em diante até quase desaparecer no fim do século.

• Havia dois tipos de exploração: faiscações (pequenas unidades) e lavras (unidades de maior tamanho).

•Houve também a exploração de diamantes, feita sob severa fiscalização da Coroa, no Distrito Diamantino.

A administração da atividade mineradora

•Durante o século XVIII houve um processo de centralização e fortalecimento do sistema político-administrativo no Brasil.

•Tal processo ficou mais evidente nas capitanias produtoras de ouro (Minas Gerais, Mato Grosso e Goiás).

•Para administrar a atividade mineradora, foi criada em cada uma dessas capitanias a Intendência das Minas de Ouro, encarregada de supervisionar todos os assuntos ligados à mineração.

•A ineficiência das intendências levou-as a usar métodos violentos, gerando a revolta da população mineradora.

•Dos impostos cobrados, o mais importante foi o quinto.

 

Brasil Colônia: a economia mineradora (século XVIII)

As consequências da mineração

• A atividade mineradora teve importantes consequências de caráter econômico, sociocultural e político.

•Entre as mais significativas destacam-se:

1. O rápido crescimento da população (1.000% em um século).

2. O alargamento da faixa de trabalho livre.

3. O declínio relativo da escravidão (cresce o número absoluto de escravos, mas diminui a porcentagem dos mesmos em relação à população total).

4. Crescimento do mercado consumidor interno.

5.Transferência do eixo econômico da colônia do Nordeste para o Sudeste.

6. Crescimento do comércio interno.

7. Aumento da mobilidade social, crescimento da camada média e formação de uma sociedade de caráter mais urbano.

8. Centralização administrativa e reforço da autoridade metropolitana.

9. Choque de interesses entre a metrópole e a população colonial, criando condições para o início do processo de independência.

10. Intensificação das manifestações culturais.

 * A mais importante consequência externa da mineração foi o acúmulo do ouro brasileiro na Inglaterra, o que contribuiu para o início da revolução Industrial inglesa. No final do século XVIII, o esgotamento das jazidas provocou a decadência da mineração, sendo a economia de Minas Gerais redirecionada para o abastecimento de gêneros agrícolas para a região do Rio de Janeiro.

Nenhum comentário:

Postar um comentário