Loading...

segunda-feira, 16 de novembro de 2009

Europa e EUA no século XIX

EUROPA NO SÉCULO XIX


- europeus: arrogantes / superiores / respeitavam os EUA (extensão do mundo civilizado)

- época: conservadora e revolucionária



Inglaterra

- Pax Britannica / Era Vitoriana – Rainha Vitória governou de 1838 a 1901 / nesse período a Inglaterra tornou-se a nação mais rica e poderosa do mundo / tinha o maior número de indústria e um vasto império.

França

- Os antigos reais absolutistas voltaram aos tronos e foi criada a Santa Aliança, uma união militar para impedir que houvesse novas revoluções liberais. Mesmo assim, estouraram diversas revoluções em 1820, 1830 e , especialmente , em 1848 – A Primavera dos Povos, que apresentou além do liberalismo, pela primeira vez idéias socialistas e anarquistas. O ano de 1848 foi o mais revolucionário do século XIX, em várias regiões do mundo. A palavra liberdade estava em todas as bocas.

- Napoleão III, no 2º. Reich, realizou a reforma da capital / modernização / pobres forram expulsos para periferia / destaque: Victor Hugo

- Guerra Franco-Prussiana / vitória alemã / o imperador francês Luis Bonaparte (Napoleão III) foi feito prisioneiro / população se rebelou e proclamou a república na França.

- Comuna de Paris (1871); povo descontente com o governo provisório ocupou o prédio da prefeitura / operários organizaram a primeira tentativa de revolução socialista da história da humanidade / medidas revolucionárias: extinção da polícia e do exército, criação dos destacamentos da população armada, separação da Igreja do Estado, educação pública, algumas fábrica sob controle de conselhos dos trabalhadores / Paris não se transformou em uma cidade socialista / com receio de alastramento do movimento revolucionário, os alemães libertaram o imperador francês / soldados franceses atacaram Paris que estava sob controle dos comunardos / saldo: 20 mil mortos.





AS UNIFICAÇÕES ITALIANA E ALEMÃ.

- imigrantes italianos e alemães fugiram da miséria e das guerras na segunda metade do século XIX

- ideais presentes no processo de unificação política: LIBERAL e NACIONALISTA / o liberalismo era um movimento político em favor da liberdade dos indivíduos e o nacionalismo era um movimento político em favor da liberdade e da autonomia dos povos, do direito de criarem seus próprios Estados.

- grupo social com maior interesse: burguesia industrial / união dos mercados = fortalece a economia / revoltas populares com base no socialismo e anarquismo = perigosas para burguesia que concordava com o NACIONALISMO, mas tinha receio que o LIBERALISMO concedesse “direitos demais ao povo”.

- a unificação desses países foi feita de cima para baixo / participação passiva das classes populares / no final do século XIX

- Na Itália, a liderança da unificação coube ao Reino do Piemonte-Sardenha, a região mais industrializada da nação, sob uma monarquia constitucional / destaque: ministro Cavour recuperou territórios que estavam sob controle austríaco / Garibaldi mobilizou o sul através de um exército de camponeses (Camisas Vermelhas) , com proposta republicana não conseguiram se sobrepor aos piemonteses / rei Vítor Emanoel foi coroado rei de toda a Itália / a Igreja Católica não aceitou a perda de territórios e o papa se declarou prisioneiro dos italianos = Questão Romana

- Na Alemanha, dois Estados disputavam a liderança da unificação: a Prússia e a Áustria. Assim, a capital da Alemanha deveria ser Berlim ou Viena? Ganhou Berlim. A unificação econômica começou antes da unificação política através do Zollverein, palavra alemã para união aduaneira (alfândega), ou seja, haveria livre comércio entre os estados germânicos membros. O ministro da Prússia, Otto Von Bismarck, isolou a Áustria. Por meio da guerra, ele foi unindo os Estados alemães à Prússia. A unificação feita “a ferro e fogo” se consolidou da Guerra Franco-Prussiana (1871) = a França foi derrotada e cedeu a região da Alsácia-Lorena e teve que pagar pesada dívida de guerra = revanchismo francês.


 Estados Unidos no século XIX

No século XIX, os EUA se tornaram uma grande potência industrial. Os territórios do oeste foram tomados dos índios – justificativa ideológica: Destino Manifesto – e ocupados por imigrantes europeus / quando as terras eram indígenas ou mexicanas usava-se a força / territórios de franceses, espanhóis, ingleses eram negociados / “Pobre do México, tão perto dos EUA, tão longe de Deus.”

Mas o país continuava dividido em estados no norte, baseados em pequenas e médias fazendas, indústrias, trabalho livre, voltados para o mercado interno e os estados do sul, baseados no latifúndio monocultor, no trabalho escravo, voltados para o mercado externo. Os latifundiários sulistas temiam a abolição da escravatura e não aceitavam o protecionismo alfandegário.

Quando Abraham Lincoln foi eleito presidente, os estados do sul declararam a secessão (separação). Estourou a Guerra Civil (1861-1865), que terminou com a vitória dos nortistas.

No final do século XIX, os EUA já tinham se tornado um país altamente industrializado e imperialista. Organização nos estados sulistas da Ku-klux-klan.

As companhias norte-americanas investiram principalmente no México e nos países da América Central. Quando a situação em um desses países prejudicava os investidores estadunidenses, o governo dos EUA enviava os fuzileiros navais – os mariners. As intervenções militares do imperialismo estadunidense foram chamadas de política do Big Stick (porrete).

3 comentários:

  1. amei..achei um otimo trabalho,me ajudo muito ,brigada !

    ResponderExcluir
  2. Curti bastante, isso irá ajudar em meu debate

    ResponderExcluir
  3. Gostei me ajudou bastante . . .
    Gostei da frase ". . .tão perto dos EUA ,tão longe de Deus "

    ResponderExcluir